Polícia prende quatro suspeitos de matarem jovem em “tribunal do crime”

Divulgação
Divulgação

A Polícia Civil de Ladário, com apoio do SIG (Setor de Investigação Geral) da 1ª DP de Corumbá prendeu quatro homens de 21, 221 31 e 34 anos, suspeitos do sequestro e assassinato de Lucas Matheus de Souza Mendoza, de 22 anos. A investigação aponta que a vítima foi morta em agosto pelo “tribunal do crime” de uma facção criminosa.

Conforme o Diário Corumbaense, iniciada a investigação, com base em trabalho de inteligência, os policiais descobriram que a vítima foi sequestrada por integrantes da facção criminosa, que o submeteram a um “tribunal do crime”, onde a vítima foi “julgada” e “condenada” por uma suposta relação com organização criminosa rival.

Os quatro suspeitos foram identificados e presos e estão à disposição da Justiça. A Polícia Civil segue investigando o caso para apurar toda a dinâmica do assassinato.

O caso 

O corpo de Lucas Matheus foi encontrado boiando nas águas do rio Paraguai, na região da Boca do Paraguai Mirim, distante cerca de 15 quilômetros da área urbana de Corumbá, nas proximidades da Base Naval do Rabicho, da Marinha do Brasil, no dia 25 de agosto. A vítima apresentava corte no pescoço (esgorjamento), várias lesões no rosto, ferimento profundo na cabeça e um corte no abdômen, como fazem no tribunal do crime.

Um dia antes de o corpo de Lucas ser resgatado, ele tinha saído na companhia de um indivíduo para fazer corrida de aplicativo. Foi o que revelou o boletim de ocorrência 3068/2021, registrado no 1º Distrito Policial de Corumbá, pelo irmão de Lucas, o qual o Diário Corumbaense teve acesso na época do crime. O irmão de Lucas relatou que, na tarde de terça-feira (24), ele estava em casa, no bairro Boa Esperança, em Ladário, quando saiu por volta das 14h, na companhia do indivíduo, para fazer uma corrida. Ainda conforme o irmão, o indivíduo que o acompanhava, relatou que eles levaram o suposto passageiro até próximo ao rio, até a bomba, conforme o “amigo”, não sendo mencionado o local exato.   

O indivíduo ainda contou que como ele não queria ficar no lugar, voltou para sua casa, enquanto Lucas Matheus ficou e não foi mais visto pelos familiares. O irmão da vítima também afirmou que o veículo dele, um Gol ano 1997, de cor vermelha, e o aparelho celular, de cor roxa, até então não haviam sido encontrados. O boletim de ocorrência também trazia o nome de um suspeito do homicídio.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *