Após queda, militares montam acampamento para garantir segurança

Avião militar cai em Campo Grande
Foto: Valentin Manieri

Acidente aconteceu por falha mecânica enquanto o piloto realizava um voo de treinamento na Capital

Depois da queda da aeronave de caça A-29 Super Tucano durante voo de treinamento em uma área desabitada, perto do bairro Coophavila, em Campo Grande, militares montaram acampamento no local para estabelecer a segurança do avião e das investigações. Uma equipe de peritos da FAB (Força Aérea Brasileira) de Brasília estava prevista para chegar no fim da tarde de ontem (13) à Capital a fim de dar início às apurações do acidente hoje (14) de manhã.

Segundo o Comando da Aeronáutica, um piloto da FAB realizava um voo de treinamento quando percebeu uma falha mecânica na aeronave por volta das 11h. Em seguida, ele desviou de bairros da Capital e ejetou-se do avião que foi direcionado para a região desabitada, onde colidiu com o solo.

Após o piloto ejetar-se, partes da aeronave foram caindo pela vegetação, além de combustível que causou um incêndio de grandes proporções. O fogo se alastrou cerca de 500 metros até chegar ao avião, que já estava no solo, e ainda, teria explodido.

A fumaça era vista de longe, ainda na rodovia, e parte da vegetação ao redor foi tomada pelo fogo. O Corpo de Bombeiros esteve no local para conter as chamas e, como não havia moradores nas proximidades, ninguém ficou ferido. As investigações ficarão sob responsabilidade da FAB.

A vítima foi resgatada por um helicóptero H-60 Black Hawk do Esquadrão Pelicano (2º/10º GAV). De acordo com as informações, o piloto passava bem e foi levado para o hospital, sem ferimentos graves.

Super Tucano

O modelo da aeronave de caça A-29 Super Tucano, que apresentou falha técnica e o piloto precisou ejetar-se do avião, é um dos mais modernos da frota da FAB (Força Aérea Brasileira), começou a ser operado em 2000 e chega a custar US$ 30 milhões, ou seja, R$ 158 milhões.

O Super Tucano se diferencia por ser uma aeronave leve de ataque e, por conta disso, o custo é bem menor em comparação com outros modelos. O avião consegue pousar e decolar em pistas curtas, além de ser preparado para operar em locais não pavimentados.

 

(Texto de Mariana Ostemberg)

Confira mais notícias do jornal impresso. 

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *