Veto do prefeito tranca a pauta de votação

Sessão da Câmara Municipal teve a pauta trancada em razão de veto em projeto de lei a pedido do Executivo municipal. Por regra regimental, para seguir com a pauta do dia o autor do PL tem de estar presente e no momento da votação o vereador não se encontrava na casa.

O veto total foi ao Projeto de Lei ProAPS CG, que tem a finalidade de instituir o programa de Avaliação à Saúde Pública no município de Campo Grande, de autoria do vereador Papy (Solidariedade).

De acordo com a justificativa do veto, uma das questões é a ausência de estrutura para ideal aplicação do projeto. “Em consulta à Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), houve manifestação pelo veto total, afirmando-se para tanto que não há conveniência administrativa para a implantação da medida, uma vez que a administração municipal utiliza- -se das medidas dispostas na Lei Federal nº 13.460, de 26 de junho de 2017, que dispõe sobre a defesa dos direitos do usuário”, conforme consta na justificativa do veto.

Em outro ponto da proposta sugere avaliação dos profissionais com uso de tecnologia a ser definida pelo Poder Executivo municipal, pela qualidade de seu atendimento. No entanto, esse trecho foi vetado por ter uma legislação em vigor na Sesau que engloba a mesma proposta contida no item apontado.

E também o veto faz o apontamento a outro projeto de lei em trâmite na Câmara Municipal, o qual trata da criação do Conselho de Usuários de Serviços Públicos do Município de Campo Grande. (Laura Brasil)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.