Priorizando a educação, Carlos Bernardo entra na disputa para Deputado Federal

Carlos Bernardo
Imagem: Reprodução/Instagram

Carlos Bernardo entra na disputa de candidato a deputado federal pela MDB. Diretor-geral do curso de Medicina da UPC (Universidade Central do Paraguai), essa é a primeira vez que disputará um cargo político.

Em entrevista para o Jornal O Estado, Carlos comenta que tem como prioridade as áreas de saúde e educação e já conta com um projeto para a construção de mais universidades, visando atender a demanda crescente em Mato Grosso do Sul, Goiânia e Cuiabá. “Então primeiro o projeto piloto vai ser em Mato Grosso do Sul. A criação de uma universidade que provavelmente vai chamar a Universidade Cidade Morena ou Universidade de Campo Grande”, onde a instituição terá como objetivo ser uma referência nacional.

 

O candidato a deputado federal, contou que tinha planos de montar em Goiânia uma universidade chamada Serra Dourada, onde já tinha até um terreno para a construção, doado pelo Governo do Estado de Goiás. Porém o candidato ao Governo do Estado, André Puccinelli interviu e o puxou para o meio político.

“Quando eu estava falando com o André, o André falou: você está ficando louco? Você é daqui! Nós estamos necessitando de uma universidade aqui, urgentemente, privada, mas com qualidade e boa!”. Após essa conversa, Carlos comenta que foi para Brasília e lá decidiu se candidatar, pois assim conseguiria dar vida aos seus projetos voltados para a população.

Bernardo ainda se aprofunda mais sobre a parceria entre ele e Puccinelli, que após uma pesquisa sobre seus projetos, acabou chamando o pré-candidato para se juntar a ele na Câmera Federal. Mesmo com Carlos rebatendo o convite falando que não era conhecido e nem político, André respondeu que não teria problema e que era pra ele “se virar e andar pelo Estado todo, gastar sola de sapato, para fazer o Estado te conhecer”.

O candidato ainda comenta sobre a convenção que foi realizada nesta sexta (5), para oficializar a candidatura de André, onde os alunos da Universidade Central do Paraguai vieram prestar apoio a candidatura do diretor-geral. “Agora teve a convenção, me surpreendeu foi os nossos alunos na convenção. Os nossos alunos se juntaram, vieram na convenção participar e foi interessante porque me surpreendeu, eu não estava esperando por isso e é um apoio grandioso”.

Carlos aproveita para deixar claro o motivo pelo qual está indo para a esfera política. “Eu não estou indo lá em busca de um salário pra negociar ou fazer qualquer coisa, eu vou lá em busca de benefícios pro nosso estado, pra nossa cidade, pro nosso cidadão sul-mato-grossense, pros nossos alunos e pros nossos jovens”.

Ele ainda expõe mais um projeto que deseja colocar em ação e que envolve as creches que estão fechadas no Centro de Campo Grande. O objetivo seria abrir mais unidades de ensino que funcionem pelo período de 12 horas, ajudando a população que necessita deixar os seus filhos em centros educacionais para ir trabalhar, ao invés de deixar com familiares ou babás.

Carlos finaliza a entrevista de uma forma humilde, reconhecendo que talvez ele não de conta de tudo. “Não vou ser eu que vou dar conta, tá? Mas eu vou dar o meu chute na árvore lá. Eu posso não dar conta, mas eu vou estar perturbando. Alguma coisa tem que ser feita”, finaliza.

O candidato faz parte dos convidados ilustres da premiação “Cidadão Nota 10”, que acontece no próximo dia 19 no Jornal O Estado, e diante do convite ele agradeceu a honraria.

Com informações da repórter Brenda Leitte.

Acesse também as redes sociais do Estado Online no Facebook Instagram.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.