PMA apreendem petrechos ilegais e acompanham pescador soltar peixe acima da medida

Petrechos ilegais
Foto: divulgação/PMA

Equipes da Polícia Militar Ambiental que fazem parte da operação pesca legal, estão realizando hoje (6) fiscalizações nos rios Salobra e Miranda. Durante a operação, os policiais averiguaram 46 embarcações e 131 pescadores, averiguando principalmente o uso de petrechos ilegais.

Durante abordagem a uma das embarcações, um pescador acabava de capturar um peixe da espécie pintado com mais de 125 centímetros e, portanto, acima do tamanho máximo permitido para o abate. A equipe acompanhou a emoção final da captura pelo pescador e o acompanhou na soltura do peixe.

Ao todo, durante a tarde de ontem e a manhã de hoje, 133 pessoas que estavam a beira do rio foram abordadas pelas equipes

Petrechos ilegais 

Um dos principais propósitos da fiscalização preventiva à pesca predatória é a retirada de petrechos ilegais com alto poder de depredação de cardumes, que infelizmente ainda são armados por pescadores. Até o momento da fiscalização na região, a PMA já retirou do rio Miranda 57 anzóis de galho e dois espinheis (cordas) com 15 anzóis cada. Alguns nas proximidades da foz do rio Salobra. Os infratores que armaram os petrechos ilegais não foram localizados e nem identificados.

Esses trabalhos preventivos são fundamentais, tanto para evitar que pessoas pratiquem a pesca predatória, bem como realizar a retirada desses petrechos ilegais que são armados nos cursos d’água, petrechos estes, que têm alto poder de degradação de cardumes.

Divulgação/PMA

Operação Pesca Legal

Uma das maiores preocupações da Polícia Militar Ambiental é justamente em relação à pesca predatória. Portanto, a operação Pesca Legal busca fiscalizar o uso de petrechos com grande poder de depredação de cardumes como as redes de pesca, anzóis de galho e espinheis. Dessa forma, a presença das equipes, pode impedir que pescadores armem os equipamentos ilegais.

A pesca é uma atividade econômica importante no MS, que movimenta empregos e renda, tanto a pesca amadora como a profissional. Por essa razão, o Estado possui uma das políticas de pesca mais restritivas do Brasil. A PMA tem enorme contribuição para a conservação, bem como até com a recuperação dos estoques, como o que vem acontecendo em vários rios da bacia do Rio Paraná.

 

Confira as redes sociais do O Estado Online no Facebook Instagram.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.