‘Operação Ísis’ cumpre 17 mandados de prisão na Capital

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Foi deflagrada na manhã de ontem (15) a Operação Ísis em Campo Grande, com o objetivo de combater a violência doméstica e familiar na Capital. A ação foi feita pela Polícia Militar por meio das unidades que compõem o Comando de Policiamento Metropolitano (CPM), juntamente com as Promotorias das varas de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher do Ministério Público.

De acordo com dados da PM, Mato Grosso do Sul ocupa o segundo lugar em ocorrências relacionadas ao crime contra mulheres, acionados pelo 190. A operação foi comandada pela Coronel PM Neidy Nunes Barbosa Centurião e envolveu 40 equipes. Foram cumpridos 17 mandados de prisão contra pessoas condenadas por crimes relacionados contra à mulher.

Operação Ísis

A operação recebeu o nome de Ísis, em referência a Lei nº 5.202, de 30 de maio de 2018, que instituiu no calendário oficial do Estado de Mato Grosso do Sul o dia 1º de junho, como “Dia Estadual de Combate ao Feminicídio. A data lembra a morte da jovem Isis Caroline, ocorrida em 1º de junho de 2015 e tida como o primeiro caso de feminicídio registrado no Estado, após a vigência da Lei 13.104/2015.

Os mandados foram cumpridos nos bairros: Los Angeles, Noroeste, Aero Rancho, Vila Almeida, Centro Oeste e Indubrasil. Foram 15 dias de investigação para levantar quais alvos deveriam ser presos por crimes praticados contra mulheres. Um militar da reserva de 58 anos foi preso no Bairro Centro Oeste e um guarda no Bairro Vila Almeida. Já um dos alvos não foi localizado, já que está na cidade de Barretos fazendo tratamento para câncer.

Serviço

A Central de Atendimento à Mulher faz uma escuta e acolhida qualificada às mulheres em situação de violência. O serviço registra e encaminha denúncias de violência contra a mulher aos órgãos competentes, bem como reclamações, sugestões ou elogios sobre o funcionamento dos serviços de atendimento.

O serviço também fornece informações sobre os direitos da mulher, como os locais de atendimento mais próximos e apropriados para cada caso: Casa da Mulher Brasileira, Centros de Referências, Delegacias de Atendimento à Mulher (Deam), Defensorias Públicas, Núcleos Integrados de Atendimento às Mulheres, entre outros.

A ligação é gratuita e o serviço funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana. São atendidas todas as pessoas que ligam relatando eventos de violência contra a mulher.

O Ligue 180 atende todo o território nacional e também pode ser acessado em outros países.

Com informações da PM MS.

Veja também:

Irmãos confessam ter matado o indigenista Bruno Pereira e jornalista Dom Phillips

Acesse também as redes sociais do Estado Online no Facebook e Instagram.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.