Fronteiras de sangue: número de execuções em MS sobe em comparação com 2020

Foto: Arquivo/Imagem ilustrativa
Foto: Arquivo/Imagem ilustrativa

Conhecida pelas grandes apreensões de drogas e inúmeros casos de execuções, a região da fronteira entre Brasil e Paraguai voltou a ser destaque devido ao número de mortes registradas nos últimos dias. Foram seis em apenas quatro dias. Mesmo com a crescente de casos em comparação ao ano passado, os números ainda não batem o ano de 2019, período ainda mais violento.

Ponta Porã em 2019 registrou 50 assassinatos, o número caiu para 37 em 2020 e novamente subiu para 40 este ano. A cidade não é única da fronteira que teve aumento em número de mortes.

Dados disponibilizados pela Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) apontam que em Bela Vista as vítimas aumentaram para cinco em comparação ao ano de 2020, quando foram registrados três cados. Mas, o ano de 2019 continua o mais violento na cidade, com sete homicídios.

No município de Corumbá, os números foram caindo nos três anos seguidos. Em 2019 foram registradas 23 mortes que caíram pra 21 casos em 2020 e 17 em 2021.

Mortes violentas

O final de semana na fronteira foi bastante sangrento, começando por Bela Vista – distante 325 quilômetros de Campo Grande – quando Luiz Alberto Teixeira, de 59 anos, foi executado em sua residência no último sábado (18), depois que um homem foi até o local para conversar. Após o homicídio, o suspeito fugiu em uma motocicleta.

Em Ponta Porã, quatro pessoas foram mortas e uma ferida no domingo (19). A primeira vítima foi de Ederson Benites Cano, de 28 anos, que foi morto pela manhã depois de ser perseguido quando chegava em casa, na região conhecida como “favelinha”, na região ferroviária. O homem foi abordado por um indivíduo que chegou atirando. A vítima correu, mas foi seguido pelo criminoso que, ao se aproximar, voltou a atirar. Ao ser atingido, Ederson conseguiu correr, mas caiu na porta de uma residência.

No mesmo dia, Aldenir Alves, 49, e Joaquim Antônio da Silva, 55, foram mortos e um homem de 54 anos ficou ferido a tiros em uma conveniência no Jardim Marambaia, em Ponta Porã. As polícias Civil e Militar realizaram levantamentos no local do crime e buscas em toda a cidade, mas o autor do crime ainda não havia sido localizado.

No início da noite, Orlando do Sul Batista da Silva, de 53 anos, foi morto enquanto cortava a grama de sua residência em Ponta Porã. A vítima foi assassinada com vários tiros na cabeça. Um homem contou para a polícia que Orlando cortava a grama da parte externa da casa quando um desconhecido chegou de moto, parou do outro lado da rua e se aproximou da vítima e, com arma em punho, disparou por pelo menos seis vezes. Depois de disparar contra a vítima, o pistoleiro voltou para a moto e fugiu.

Nesta terça-feira (21), uma mulher identificada como Neide Rodrigues dos Santos, de 54 anos, foi executada a tiros na frente de casa nesta terça-feira (21) no distrito de Sanga Puitã, em Ponta Porã.

Segundo informações publicadas pelo Ponta Porã News, os suspeitos estavam em um veículo sedan VW de cor escura. O veículo passou em frente a residência e dois pistoleiros desceram efetuando vários disparos contra a mulher.

Todos os casos seguem em investigação pela Polícia Civil.

 

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.