Empresário e ex-servidor são suspeitos de desviarem R$1 mi de prefeituras no interior

Divulgação/Polícia Civil
Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul realizou na quarta-feira (13), a segunda fase da Operação Dark Card para combater o desvio de mais de R$1.4 milhão dentro da Prefeitura de Nova Alvorada do Sul, em 2020, e R$330 mil da Prefeitura de Rio Brilhante, em 2021. Foram cumpridos dois mandados de prisão e houve o resgate de bens valiosos contra um ex-funcionário público e um empresário.

Com o apoio do DRACCO (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado), a investigação teve origem com denúncias de supostos abastecimentos de combustíveis ilegais que ocorriam em Nova Alvorada do Sul, a aproximadamente 110 quilômetros de Campo Grande.

A partir de suspeitas, a unidade policial da cidade solicitou à controladoria municipal o extrato dos gastos com a frota veicular no ano, revelando os gastos inconsistentes de algumas secretarias com o cartão municipal, que deveria ser usado somente de forma emergencial.

Na primeira fase da operação, já haviam sido cumpridos três mandados de prisão de pessoas envolvidas no município de Rio Brilhante, constatando que as duas cidades sofreram um prejuízo de mais de 1,8 milhão com os crimes. Acesse também: Suspeito de ter ordenado chacina na fronteira é encontrado em cela com privilégios

(Com informações do repórter Itamar Buzzatta)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *