Privatizações terão secretaria própria, confirma Guedes

privatização

O futuro superministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou ontem (20) a Reuters que no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro, haverá uma Secretaria de Privatizações para lidar com a venda e abertura de capital das estatais brasileiras.

Desde a corrida eleitoral, Guedes defende a pauta das privatizações como uma das mais importantes do próximo governo. Ele chegou a dizer que haveriam cerca de R$ 1 trilhão em ativos a serem vendidos, o que, segundo ele, diminuiria a dívida pública do país.

Um gigante do governo, o Banco do Brasil, continua sem nome definido. Jair Bolsonaro já afirmou que o plano de privatizações será grande, porém “com muita responsabilidade”. Ainda em entrevista coletiva, Guedes disse que não medidas que visem o aumento de impostos.

Para 2021, estão previstas nove privatizações: Correios, Eletrobras, Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), Trensurb, Emgea, Ceasaminas, Codesa, Nuclep e Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores de Garantias (ABGF).

Paulo Roberto Nunes Guedes é um economista brasileiro, atual ministro da Economia do Brasil. É formado pela Universidade Federal de Minas Gerais, mestre e doutor pela Universidade de Chicago, e foi professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e da Fundação Getúlio Vargas.

 Acesse também: Helicóptero recheado com cocaína cai no Pantanal; vídeo

Mais notícias no Jornal Impresso

(Com Agências)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *