“Descaso, super lotação e demora no atendimento”, denunciam pacientes em UPA da Capital

atendimento
Super lotação no Upa Coronel Antonino/ Foto: Berlim Caldeirão

A semana começou com insatisfação da população nos UPAS (Unidade de Pronto Atendimento), de Campo Grande, devido o aumento de viroses infantis que são enfrentadas, e também com a alta de casos de dengue. Hoje (25), os UPAs do bairro Coronel Antonino e Tiradentes estão com super lotação, e os pacientes reclamam da falta de médicos o suficiente para atendimento, descaso com a população e demora para as consultas.

Foto: Berlim Caldeirão

Na unidade há pacientes com sintomas gripais, dengue e até pacientes que testaram positivos para COVID-19 que estão aguardando pelo atendimento juntos aos demais, já que agora não possuem alas separadas. Os pacientes denunciam o descaso por estarem todos “misturados”, independente dos sintomas e mesmo testando positivo para Covid.

Na reportagem de Vivian Bacarji, de O Estado Online, o estudante Paulo Renato Souza, 19 anos, está com suspeita de dengue, com sintomas de dor no corpo, garganta, cabeça e também com pressão alterada. Mesmo com todas as dores fortes o jovem aguardou a consulta mais de 2h. Outros pacientes aguardaram cerca de 4h.

Super lotação no Upa Coronel Antonino/ Foto: Berlim Caldeirão

Outra paciente com caso de apendicite, ficou aproximadamente das 8h até às 12h só para conseguir um encaminhamento para a Santa Casa.

Na Unidade do bairro Tiradentes, a situação não está diferente, por lá o clima é de muita espera. Segundo o apurado pela equipe do Portal O Estado Online, a atendente de restaurante, Shirley Moreira, 36 anos, aguardou pela triagem por cerca de 1h30, com sintomas gripais, dor de garganta, cabeça e manchas vermelhas pelo corpo.

Outras pacientes da Unidade estão desde as 15h e até às 17h estavam esperando passar pela triagem e outros aguardam pelo atendimento médico desde o começo da tarde.

Na última segunda-feira (23), em uma coletiva imprensa, o Secretário Municipal de Saúde (Sesau), José Mauro Filho, de Campo Grande se pronunciou sobre a lotação das unidades, e justificou o ocorrido devido o enfrentamento de aumentos em 300% da lotação em unidades de saúde, em razão de viroses infantis, tem sido enfrentada, também, uma crise nos leitos neonatais, que parece ser em decorrência da pandemia.

Confira a live exclusiva com informações dos atendimentos:

Confira as redes sociais do O Estado MS no Facebook Instagram.

Acesse também: SUS: medicamentos que tratam obesidade não são disponibilizados

 

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

1 thought on ““Descaso, super lotação e demora no atendimento”, denunciam pacientes em UPA da Capital”

  1. Tatiane Oliveira Corsini

    Fui semana passada lá no Coronel Antonino um Médico se recusou me atender estou gestante e estava com a pressão alta…logo em seguida veio médica da UFMS perguntando para as enfermeiras pq ele não atendeu em fim abalaram, mas graças a Deus no dia q fui estava bem frio e vazio a UPA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.