3 dezembro 2020, 3:05
Foto: Ilustrativa

Golpe do “falso boleto” faz vítimas toda a semana

Em quase toda semana, a Capital e o Estado têm pessoas caindo no golpe do boleto falso. De acordo com um relatório da Polícia Civil, somente em Campo Grande, de janeiro a outubro deste ano, 87 pessoas caíram no golpe. Foram 56 ocorrências envolvendo o Banco BV e 31 do Banco Pan. O delegado Jeferson Rosa Dias, titular da 6ª DP (Delegacia de Polícia) de Campo Grande, afirmou que quase sempre a história é a mesma.

A vítima não consegue falar no atendimento do banco por telefone porque sempre cai em uma gravação e daí ela resolve procurar o site no Google e como o estelionatário paga um monte de anúncio, o site dele é o primeiro que aparece e lá já direcionam para um suposto atendente que solicita o nome completo, CPF, número do contrato, a quantidade de parcelas feitas e a quantidade já paga e também o valor das parcelas.”

Foi assim que o motorista Alvino Alvicio Benitez, 63 anos, caiu no golpe. Ele precisava solicitar a segunda via da parcela quando acabou entrando em contato por meio de aplicativo de conversa com um estelionatário que se passava por funcionário do Banco BV. “Eu perdi R$ 550 e só fiquei sabendo que fui vítima de um golpe quando o próprio banco começou a cobrar o atraso da parcela”, disse. 

Já a diretora de imagem Marina Domingos, de 51 anos, quase foi vítima do golpe, mas ela percebeu o crime antes de realizar o depósito. Marina afirmou que a conversa com o estelionatário começou no dia 10 deste mês sobre um possível desconto para quitar o financiamento do seu carro e que os documentos encaminhados pelo estelionatário via aplicativo de conversa tinham até mesmo carimbo da empresa.

(Confira mais na página A5 da versão digital do jornal O Estado)

Veja Mais:

Projeto obriga agressor de animal a pagar resgate e tratamento

Suspeito de matar caminhoneiro se apresenta à polícia

Veja também

DEPCA investiga mãe e padrastro que torturavam crianças

Mãe e padrasto são suspeitos de torturar crianças, de 10 e 12 anos, no bairro …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *