Implantação de novas tecnologias deixa legado positivo nos Parlamentos

Foto: Luciana Nassar
Foto: Luciana Nassar

Para controlar a pandemia da Covid-19, distanciamento físico e medidas de quarentena foram obrigatórios. Em um esforço para cumprir esta recomendação, o comportamento da humanidade teve de mudar. Educação, trabalho, consumo e entretenimento são algumas áreas que mudaram de offline para online.

Os Legislativos enfrentaram desafios que testaram sua capacidade para adaptar. “Redesenhando a modernização nos Parlamentos” foi o tema debatido nesta manhã (25), na 24ª Conferência Nacional da União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale), que acontece no centro de eventos Bosque Expo, em Campo Grande.

O assunto foi abordado pelo cientista político e criador da LegisTech, Luís Kimaid; pelo chefe do Departamento de Documentação e Supervisão do Serviço Científico do Parlamento Helênico (Grécia), Fotis Fitsilis, e pelo presidente da Xcential Legislative Technologies (EUA), Mark Stodder. O diretor-executivo do ILB-Interlegis/Senado Federal, Leonardo Augusto Barbosa, foi o mediador.

De acordo com os palestrantes, os Parlamentos, em todo o mundo, iniciaram na pandemia um gigantesco exercício de transformação digital. A rápida implantação de novas tecnologias tornou viável uma rápida resposta institucional à Covid-19.

“As soluções de software e hardware, junto com a expansão de todos os tipos de redes, garantiram a capacidade dos Parlamentos de responder adequadamente à pandemia. A digitalização dos procedimentos legislativos foi provavelmente uma das principais vitórias dos Parlamentos”, disse Fotis Fitsilis.

Para Luís Kimaid, as Casas Legislativas compreenderam os desafios comuns para a transformação digital. “A modernização está focada em dois elementos: na melhoria dos processos legislativos e na garantia da continuidade legislativa em qualquer caso que impeça os parlamentares de estarem na sede do Legislativo. Em tempos de pandemia, o Parlamento não pode parar e a tecnologia é fundamental para garantir as atividades. No Brasil, todas as assembleias deliberaram de alguma forma, garantindo o poder de fala e de votos dos parlamentares”, afirmou.

Mark Stodder ressaltou que a modernização dos Parlamento representa eficiência e transparência e, sobretudo, estabilidade e confiança nas instituições. Leonardo Augusto falou dos legados da pandemia. Os palestrantes também destacaram a importância de transformar as normas em dados para organização das informações. Para eles, os primeiros passos são a digitalização dos processos e a definição da forma que os dados serão visualizados.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *