Cade investiga Petrobras por possíveis abusos no mercado de combustíveis

Reprodução/Agência Brasil
Reprodução/Agência Brasil

O Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) abriu inquérito administrativo na última semana contra a Petrobras para investigar possíveis abusos no mercado de combustíveis. Para o processo, foram usados documentos que mencionam a política de preços da gasolina e do diesel e também de gás natural.

O conselho apura desde a quarta-feira (12) possíveis infrações praticadas pela Petrobras por “abuso de posição dominante”. A Petrobras reajustou os preços dos combustíveis nas refinarias na semana passada em até 8%. O diesel passou de R$ 3,34 para R$ 3,61 por litro, enquanto a gasolina subiu de R$ 3,09 para R$ 3,24 por litro.

“Cabe à autarquia acompanhar o funcionamento dos mercados para prevenir e identificar eventuais práticas anticompetitivas”, disse o Cade. Procurada, a Petrobras não havia se manifestado sobre a investigação do Cade até a publicação deste texto.

Os preços também são motivos de embates frequentes entre Jair Bolsonaro (PL) e os governadores. O presidente culpa os governos estaduais pela alta dos preços, em razão do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) sobre os combustíveis.

Na sexta-feira (14), os estados decidiram descongelar o ICMS sobre os combustíveis a partir de 31 de janeiro, após terem aprovado um congelamento de 90 dias. “A política de preços da Petrobras só serve para manter e aumentar os lucros da petrolífera”, afirmou o governador do Piauí, Wellington Dias (PT), que é coordenador do Fórum Nacional de Governadores, ao anunciar a decisão dos Estados.

No fim de semana, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), usou as suas redes sociais para culpar o Senado e os governadores pelos altos preços dos combustíveis. Ele também disse que os chefes dos Executivos estaduais cobram agora soluções visando às eleições deste ano.

(Com informações da Folhapress)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.