Após mais de um ano sem queda, diesel vai ficar R$ 0,17 mais barato em MS

diesel posto de gasolina
Imagem: Reprodução/Valentin Manieri
Segundo Petrobras, última retração ocorreu em maio de 2021

Por Taynara Menezes – Jornal O Estado MS

O litro do diesel teve a primeira queda de preço, após um ano e três meses. Hoje (5), o combustível passa a ficar R$ 0,20 mais barato nas refinarias, o que deve refletir em R$ 0,17 aos consumidores de Mato Grosso do Sul, segundo o diretor-executivo do Sinpetro-MS (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência de Mato Grosso do Sul), Edson Lazarotto.

Ainda de acordo com o diretor, esse resultado deve impactar nas bombas, após dois dias da decisão, mas enfatiza que o mercado é livre, ou seja, os revendedores decidem sobre as aplicações.

“A redução começa a valer a partir de amanhã [hoje], com uma queda de 3,5%, que na média equivalerá em torno de R$ 0,17 no litro do diesel, mas sempre lembrando que o mercado é de livre concorrência”, afirma.

Para as distribuidoras, o valor do litro cairá de R$ 5,61 para R$ 5,41. Já a parcela da Petrobras no preço ao consumidor passará de R$ 5,05, em média, para R$ 4,87 a cada litro vendido na bomba. A última redução aconteceu no dia 1º de maio de 2021.

Em nota, a estatal informou que a redução acompanha a evolução dos preços, que se estabilizaram e é coerente com a prática de preços da Petrobras, que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado global, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações internacionais e da taxa de câmbio.

Preços

Em Campo Grande, o preço do litro do diesel tem variado 7,04%, sendo vendido entre R$ 7,09 e R$ 7,59. O litro mais barato, de R$ 7,09, foi encontrado no Posto Taurus, localizado na Avenida Cândido Mariano. Em outro estabelecimento da Avenida Duque de Caxias, o diesel S10 está por R$ 7,39 e o comum, a R$ 7,29 o litro. Em um posto na Avenida Ernesto Geisel, o litro do óleo comum é comercializado a R$ 7,49 e o S10 a R$ 7,59.

Combustível da economia

O diesel tem o poder de movimentar toda a cadeia produtiva. Dessa forma, ele encarecendo, tudo ao redor fica mais caro, como, por exemplo, os alimentos, frete e insumos agrícolas. O economista Eugênio Pavão explica que, com a nova medida, a expectativa é de refletir positivamente nos demais segmentos.

“A grande maioria de produtos são transportados por caminhões, caminhonetes e furgões, a economia brasileira se locomove em cima do diesel, o reflexo da alta do combustível leva ao aumento dos fretes, dos preços. Agora, com a queda, após um lapso de tempo, deve refletir na baixa de fretes e preços”, pontua.

Leia a edição impressa do Jornal O Estado MS.

Acesse também as redes sociais do Estado Online no Facebook Instagram.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.