Brasil leva bronze nos 100 metros borboleta

Medalha de bronze nos 100 metros borboleta
Foto: Ale Cabral/CPB

O brasiliense Wendell Berlarmino, de 23 anos, voltou a brilhar no Centro Aquático de Tóquio na manhã desta sexta-feira (3) na Paralimpíada. Com uma arrancada surpreendente na reta final dos 100 metros borboleta classe S11 (deficiência visual), ele garantiu a medalha de bronze, a única que faltava na sua coleção na Tóquio 2020, com o tempo de 1min05s20. O ouro e a prata ficaram, respectivamente, com os japoneses Keiichi Kimura (1min02s57) e Uchu Tomita (1min03s59).

Mesmo especialista em outro estilo – Wendell é velocista no nado livre – o brasiliense competiu no borboleta. Ele ocupava a sétima colocação na virada para os 50 metros, quando foi recuperando posições, até que na metade final da prova disparou do quinto lugar até ultrapassar o holandês Rogier Dorsman, que mantivera a terceira posição por quase toda a prova. Com o bronze de Wendell, o Brasil soma 23 medalhas na modalidade.

Estreante em Paralimpíadas, Wendel faturou um ouro (50m nado livre classe S11) e prata (revezamento 4 x 100m classe 49). Wendell nasceu com glaucoma congênito e chegou a passar por várias cirurgias de transplante de córnea, que não evitaram a perda gradativa da visão. (Da Agência Brasil)

 

Confira mais notícias no jornal impresso. 

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.