Rota Bioceânica fará custo do transporte cair pela metade

Durante a 8ª Reunião do Corredor Bioceânico, iniciada na manhã de ontem (21), foi revelado que com a nova rota haverá redução de até 50% dos custos de transporte, além da distância entre os centros produtores do Brasil ao Oceano Pacífico. Tudo isso, impulsionará o Mato Grosso do Sul como centro de logística.

O evento conta com a presença de diversas autoridades que representaram, pelo menos, quatro países. Confiante, o ministro da carreira diplomática do Ministério das Relações Exteriores, João Carlos Parkinson de Castro, contou que os benefícios serão obtidos por todos os parceiros da Rota.

“A Bioceânica não beneficiará apenas o Brasil ou Mato Grosso do Sul, mas a todos os parceiros. Todos ganharão em competitividade e a redução do custo de logística é algo concreto”, disse o ministro, citando que a tonelada de uma carga trazida do porto de Antofagasta (Chile) diretamente a Campo Grande terá um custo menor de até 49%, em comparação às rotas por Uruguaiana, Foz do Iguaçu ou Ponta Porã.

“Isso é muito expressivo”, destacou ele que ainda completou dizendo que o governo já analisa outros destinos além dos asiáticos, mas também centros consumidores do Canadá, México e a Costa Oeste americana. O ministro destacou ainda a importância também descrita pelo governador Reinaldo Azambuja, em quebrar as barreiras entre os países a fim de fomentar a produção. “O Brasil poderá triplicar sua produção. A Bioceânica é mais do que uma plataforma, é desenvolvimento”, finalizou. (Michelly Perez com Portal MS)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.