Ignorando crises de saúde e econômica, setor de serviços se destaca em MS

Divulgação/Felipe Ribeiro
Divulgação/Felipe Ribeiro

Com atividades consideradas indispensáveis, um setor ignorou as crises sanitária e econômica e se mostrou resiliente. O segmento de serviços, em Mato Grosso do Sul, figura entre os melhores resultados do país no âmbito de crescimento, segundo economistas. A continuidade dos trabalhos desse ramo só se viabilizou pela atuação de profissionais que não desistiram e enfrentaram até mesmo os riscos.

Entre esses trabalhadores, Gilmar Chimenes, técnico e instalador de ar-condicionado, explica que não teve outra maneira de lidar com a situação a não ser continuar com o atendimento a seus clientes, pois, segundo ele, o conserto de equipamentos não para e é algo essencial.

“Na minha área de serviço, tudo é essencial, porque eu trabalho com geladeira, máquina de lavar roupas e ar -condicionado. E aí, ninguém fica em casa sem geladeira, ar, máquina de lavar. Então, para mim, não havia como não atender, porque a tendência das pessoas foi a de ficar em casa”, disse Chimenes

O técnico informou ainda que uma das maneiras de conseguir alavancar a demanda de seus serviços está relacionada às indicações que seus próprios clientes fazem para outras pessoas que podem se interessar pelo trabalho de Gilmar. “Eu tenho indicações dos meus clientes. Eles me ajudam, e a maioria dos serviços realizados é por indicação.”

Além de Gilmar Chimenes, outras inúmeras pessoas não abandonaram seus ofícios, lutando contra a pandemia em curso. É o caso da manicure Letícia Evellen, que atribui à paixão pelo seu serviço a força que encontrou para poder se manter no ramo.

“Eu trabalho como manicure já faz quatro anos. E o amor à minha profissão foi o que me motivou a não desistir. Eu, com certeza, amo o que eu faço. Tanto que eu cheguei a não ter receio de ser contaminada, até porque eu precisava trabalhar, tinha que sair para fazer isso, não havia outro jeito. Então, uso máscara, álcool e todos os utensílios para me proteger”, detalhou.

De acordo com Letícia, outra situação que teve de enfrentar diz respeito ao aumento do preço de seus serviços. “Eu tive de aumentar a taxa de atendimento em domicílio, acredito que isso foi o meu grande desafio. E as pessoas acabaram nem entendendo o aumento do valor.”

Desempenho positivo em MS

Em Mato Grosso do Sul, o crescimento do setor de serviços chegou a ser destaque no Brasil, como afirma o economista Cleiton Lopes. “Nosso Estado está entre as melhores unidades federativas do país, no setor de serviços. MS mantém um cenário em crescente, o qual está rigorosamente interligado ao processo de vacinação no Estado, que ocupa o segundo lugar no ranking da vacinação no Brasil.”

No Estado, os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) reforçam o otimismo existente no segmento. No acumulado de 2021, por exemplo, o saldo de vagas entre novas contratações e demissões representa um número de 15.313 novos postos de trabalho, somente em serviços. Em 2020, esse dado foi negativo, de -1.154.

“Para mim, este foi o melhor ano, não tenho do que reclamar. Não tive impactos negativos. E está havendo procura. Inclusive, até cheguei a aumentar os valores, mesmo assim o movimento não caiu, porque quando as pessoas confiam num bom trabalho, elas pagam pela qualidade”, avaliou Roberta Barbosa, cabeleireira em Campo Grande.

(Felipe Ribeiro)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.