Projeto destina lixo eletrônico e transforma computadores

Com projetos voltados para a proteção do meio ambiente, a 71ª Reunião Anual da SBPC, que está sendo realizada na UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), coloca em exposição inovações que tratam do destino dado ao lixo eletrônico, que transforma e dá utilidade ao que antes seria um monte de entulho, além de proteger biomas que são ameaçados em todo o Brasil.

O descarte incorreto de materiais eletrônicos além de multiplicar o acúmulo de lixo, provoca uma diminuição no tempo de vida de aterros sanitários e causa um aumento em pontos destinados a estes detritos. A decomposição de resíduos leva anos diferentes para desaparecer na natureza, o plástico são cerca de 450 anos, o vidro pode variar entre 4 mil até 1 milhão. O computador, item indispensável no dia a dia no mundo Hi-Tec, não se decompõe totalmente, e pode ‘habitar’ a Terra pela eternidade, se não obter um destino adequado.

Segundo o assistente na secretária de comunicação do MCTIC (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações), Gustavo André Lima, o programa “Computadores para Inclusão”, que há 12 anos faz doa computadores e recolhe aparelhos ultrapassados, a estrutura das máquinas passam por um processo onde são devolvidos a sua forma inicial, tornando possível o reaproveitamento das peças. “Após separar os materiais, o plástico é triturado e colocados em formas, para dar acabamento o vidro derretido, ganha coloração, e é posto com uma fina camada, sendo possível transformar em diferentes formatos. Nós trouxemos um banco, para mostrar que as possibilidades do que pode ser feito, mas ainda é possível transformar em piso, além de ser a principal fonte dos materiais que alimentam nossas impressoras 3D”, explica Lima.

As placas localizadas no CPU recebem outro destino, e são mandadas para tratamento no exterior, onde são retirados os metais preciosos que compõem sua estrutura, mas em breve esse processo será disponibilizado no Brasil. “A cada uma tonelada de resíduos de placas, são retirados 20g de ouro, fora os outros tipos de metais que também são encontrados, como prata e cobre. Até 2021, o primeiro centro de tratamento de placas de metais preciosos será inaugurado em Campinas-SP, atualmente na América Latina, não existe nenhum centro que trate esses materiais”, destaca Lima.

Mundo Nerd conquista MS

No universo que existe na internet, é possível ter acesso à séries e filmes ilimitados, onde fãs conseguem conversar em fãs clubes. Em expansão a cultura nerd, ganha reconhecimento e produtos considerados ‘geek’ conquistam o gosto dos consumidores. Dentro da 71ª Reunião Anual da SBPC, a Arena Games é um grande espaço é destinado para o público nerd. Nos primeiros dois dias, os empresários que apoiaram a iniciativa, e levaram produtos afirmam que já superaram a expectativa para a semana inteira, com a venda de chaveiros, camisas e bottons com personagens de filmes, séries, games, animes, desenhos, entre outros. O que demonstra que o nicho apesar de pequeno está crescendo e ganhando espaço no Estado. A Arena Games, pode ser visitada até o dia 27 de julho, na região do Complexo Esportivo, localizado na Cidade Universitária da UFMS.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.