Com 400 comércios, bairro convive com assaltos e roubos

Não é novidade para ninguém que o bairro Pioneiros, região sul da Capital, tem enfrentado tempos difíceis por causa da insegurança. E agora a onda de violência tomou conta da Rua Ana Luisa de Souza, área mais comercial, onde as ocorrências policiais têm crescido a cada dia, principalmente no trecho de 12 quadras entre a Rua Padre Julião Urquiza e a Casa Paraguaia, onde estão localizados cerca de 400 comércios.

Nos últimos dias foram assaltos à mão armada e roubos em estabelecimentos. Uma barbearia teve as portas arrombadas durante a madrugada. Foram levados televisão, notebook e tesouras. “Me sinto incapaz, sabe, você trabalha, paga seus impostos e do nada vem alguém e leva tuas coisas. Aqui, está todo mundo assustado, quando não é um é o outro”, desabafa o empresário.

Em outra loja, Elizabeth Cardoso, também foi vítima de um bandido e teve seu salão de beleza furtado durante a madrugada do dia 4 de julho. O prejuízo passou dos R$ 5 mil. “Pelas imagens deu para ver, o cara ficou um tempo no telefone com outra pessoa e escolhendo em qual estabelecimento ele ia entrar e acabou escolhendo o meu. Ele levou dois secadores, três chapinhas, produtos que eu vendia para as clientes e uma TV de 40. As autoridades da segurança pública precisam olhar por nós, comerciantes dessa rua, a criminalidade aqui está demais”.

Luiz Carlos Ferreira, tem uma loja de presente e papelaria na via, está há quatro meses com o ponto. Ele não teve sua loja furtada, nem roubada, mas já viu os vizinhos perderem tudo e até mesmo fechar o comércio por conta da criminalidade. “A minha vizinha, que tinha uma loja de roupa, entregou o ponto, ela teve sua loja furtada duas vezes, os criminosos levaram tudo, pararam com caminhão e fizeram um limpa. Meu sentimento é de insegurança total, Com 400 comércios, bairro convive com onda de assaltos e roubos cada dia um é contemplado com a visita de um bandido. Minha esposa vive falando para fecharmos e irmos embora por conta da violência”, lamentou.

Na semana passada, três pessoas foram rendidas no ponto de ônibus, por dupla, que chegou de moto. Eles levaram objetos e celulares. O mesmo tipo de ação ocorreu na segunda-feira (29), quando as câmeras de seguranças registram uma dupla roubando duas mulheres em frente de casa. Procurado, a PMMS (Polícia Militar de Mato Grosso do Sul) relatou que passou a intensificar o policiamento na região. E orientou que “todas as ocorrências precisam necessariamente ser registradas”, para que subsidiem os planejamentos de empenho de viaturas, bem como o planejamento das operações preventivas. (Rafaela Alves)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

1 thought on “Com 400 comércios, bairro convive com assaltos e roubos”

  1. Valdirene Costa Torres

    Acredito que a curto prazo, na questão da segurança pública, somente terá algum resultado efetivo se realmente for intensificada a ação policial nos bairros mais atingidos pela violência dos assaltantes. E a longo prazo, não tenho dúvidas, que o problema da criminalidade será solucionado com a educação das crianças, que merecem mais escolas e creches para se tornarem adultos melhores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.