Outubro tende a ser o mês com menor número de vítimas da COVID-19 desde maio de 2020

De acordo com Fiocruz os casos de síndrome respiratória no país, é considerado estável
Fiocruz

O boletim epidemiológico divulgado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) nesta sexta-feira (29) não registrou nenhuma morte por COVID-19, com isso, a média móvel da última semana indica média de 2 mortes por dia no Estado levando o mês de outubro ser o que registra menos vítimas desde maio de 2020.

Conforme a SES, até o momento outubro registra 45 mortes pela doença. Uma queda de 70% no comparativo com setembro que registrou 155 vidas perdidas.

Foram confirmadas 150 novas infecções pelo vírus em todo o Estado, sendo as cidades com mais casos: Dourados (54), Campo Grande (48), Anastácio (9), Três Lagoas (8) e Corumbá (7). A taxa de contágio segue estável com média de 0.86 e 0.81.

Além dos 922 casos ativos, entre isolamento e internados, existem 34 testes em análise no Lacen e laboratórios parceiros, e 184 casos sem encerramento pelos municípios.

“Temos um quadro de estabilidade no Estado. Temos uma baixa no número de casos. Temos em média 90 casos por dia nos últimos 7 dias. Mais um dia muito especial com zero óbitos registrados no dia de ontem. Mas nossa média ainda é de 2 óbitos por dia na última semana, pois temos casos em investigação e eles são inseridos no nosso boletim no dia que são encerrados, mesmo tendo ocorrido em meses anteriores. Por isso nossa média móvel está muito além do que muitas vezes acontece”, explicou o secretário de saúde, Geraldo Resende.

A queda nos indicadores também está no número de pacientes internados. Nesta sexta-feira são 45 sul-mato-grossenses em leitos clínicos (28) e de UTI (17).

A taxa de ocupação de leitos SUS/UTI está em 59% na macrorregião de Dourados, porém 45% são leitos não Covid, 7% confirmados Covid e 7% suspeitos Covid. Nas demais macrorregiões a ocupação é de 45% em Campo Grande, 41% em Corumbá e 22% em Três Lagoas.

Cuidados

Com a proximidade do feriado prolongado de finados, os gestores de saúde voltaram a pedir que a população mantenha cuidados como uso de máscaras, álcool, evitar aglomerações e manter o ritmo de vacinação.

“Quero pedir o apoio de nossa gente e secretários municipais, temos aí um quantitativo enorme de vacinas, quase 300 mil doses nos municípios. Para a vacina não tem feriados, precisamos de uma estrutura, mesmo que pequena, para fazer vacinas nesse final de semana prolongado e no feriado da semana vindoura”, destacou Resende. (com assessoria)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.