Idoso de 62 anos é denunciado por estupro e polícia descobre duas décadas de abuso na mesma família

Foto: Divulgação/PC
Foto: Divulgação/PC

A Polícia Civil prendeu ontem, (09), um idoso de 62 anos, em Água Clara, que fica a 192 km de Campo Grande. O idoso foi acusado de praticar estupros contra meninas da mesma família há 20 anos, ele só foi preso por posse irregular de arma de fogo de uso permitido.

A notícia do crime chegou até a Polícia Civil, por meio do Conselho Tutelar da cidade, que encaminhou um caso de suspeita estupro de vulnerável à Delegacia de Polícia de Água Clara. Segundo foi apurado, uma menina de apenas 10 anos disse que morou muitos anos com a avó e o companheiro dela, de 68 anos, em uma fazenda, mas se mudou para a casa do pai e da madrasta no fim de 2020.

Passados alguns dias, a madrasta percebeu que a vítima apresentava comportamento estranho e não sorria. Após ganhar confiança, a criança contou que o companheiro da avó abusou dela várias vezes, desde que tinha 5 anos.

Dentre os abusos relatou penetração na vagina, coito anal e sexo oral, dentre outros atos. A vítima disse que tem medo de que sua prima de apenas 5 anos também possa estar sendo vítima de abusos.

De posse dessas informações, uma equipe composta por policiais civis e conselheiros tutelares foram até a fazenda onde o suspeito residia. No local, ele foi questionado sobre os abusos, porém negou todos os abusos, dentro da casa foi encontrado uma arma, que não tinha autorização de ter e foi preso em flagrante. 

A criança de 5 anos não estava no local, os agentes foram informados de que poderia estar na cidade com a mãe de 30 anos. Para o Conselho Tutelar a mãe disse que também sofreu abusos sexuais pelo suspeito, quando tinha apenas 9 anos de idade, mas desconhecia que sua filha e sua sobrinha também estivessem sendo abusadas.

A equipe de investigação da Delegacia de Polícia Civil de Água Clara apurou que diversas outras meninas da mesma família também moraram naquele local e possivelmente sofreram abusos sexuais, motivo pelo qual serão ouvidas nos próximos dias.

A Polícia Civil representou pela prisão preventiva do suspeito, que aguarda a análise do Poder Judiciário.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *