Guarda Civil Metropolitana se mobiliza por reajuste e outros direitos

Divulgação
Divulgação

Filiados ao SINDGM (Sindicato dos Guardas Municipais de Campo Grande) se manifestaram na porta da Prefeitura de Campo Grande na manhã desta quinta-feira (13), solicitando melhorias aos trabalhadores de segurança pública municipal.

Entre as reinvidicações, está o aumento de 30% da periculosidade [adicional quando houver envolvimento do empregado com atividades perigosas] e bônus noturno. Os guardas municipais pediram também mudanças no sentido de aumento das promoções de cargos e reposição inflacionária para 2022.

Portanto, um dos membros à frente da manifestação, que preferiu não se identificar, revelou que a Prefeitura não cumpriu com a palavra para aumentar a taxa de periculosidade, mesmo com um acordo feito no ano passado.

”Tentamos brigar pelo o que é nosso direito, que já havia sido prometido pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD). Após acabar a lei do Governo Federal que determina nenhum reajuste por conta da pandemia, fomos informados que o reacerto salarial seria improvável. Pois, segundo a Prefeitura, a margem de negociação deles já havia sido estrapolada.”

Na sequência, foi concedido em troca ao sindicato apenas o valor do reajuste em cima da alimentação dos servidores. ”Eles colocaram 40% da periculosidade e 16.4% da infração na pauta de alimentação, já que não pode pagar de outra forma.”

”Por meio de um laudo, nosso sindicato chegou a conclusão que quanto mais a prefeitura arrecada de verba, mais a prefeitura contrata. Ou seja, o servidor público hoje está com o salário e cargos estagnados a anos,” declarou o sindicalista.

Em contato com a prefeitura, a mesma não retornou a tempo do fechamento desta matéria.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

1 thought on “Guarda Civil Metropolitana se mobiliza por reajuste e outros direitos”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.