Golpes na internet mira clientes de bares e restaurantes da Capital

Seguindo uma tendência já observada em 2020, o ano inicia com o registro de novos golpes nas redes sociais. Desta vez, as fraudes têm como vítimas os clientes de bares e restaurantes de Campo Grande, que são incitados a passar informações pessoais, por meio de perfis fakes que se utilizam do nome e até mesmo de imagens de divulgação das empresas.

Quem contou sobre a experiência de ter o nome da sua empresa envolvido no golpe, foi Carlos Henrique Maia, sócio da Kanto de Minas Empório & Café. Segundo ele, tudo começou na última quarta-feira (6). Além de criar o perfil na rede social com o nome da empresa, os criminosos utilizaram das fotos e de todas as informações repassadas aos clientes de sua empresa.

“Criaram uma conta no Instagram utilizando nosso nome e se passando por nós. 1º nossas contas nas redes são @kantodeminas instagramFacebook.com/kantodeminas Facebook e www.kantodeminas. com.br nosso site. A conta fake criada é @kantodeminas_ , que ainda está no ar, e no caso, a conta se passa pela gente, postou fotos nossas, textos nossos, e começou a seguir nossos seguidores, enviando então mensagens para eles, falando sobre sorteios e premiações. O golpe é então para os consumidores, mas atinge diretamente os nossos clientes, solicitando informações pessoais (nome/telefone) e então pedindo um “código” enviado por SMS, que no caso é o código para resgatar o WhatsApp do cliente”, revelou.

Outra vítima foi Flavio Higa, que, por meio das redes sociais da Hamburgeriacg, emitiu um comunicado alertando aos clientes sobre a prática do golpe com o nome e a imagem da empresa. No comunicado a empresa solicita que os clientes ajudem a denunciar a ação para que a página fake seja cancelada. “Temos denunciado um perfil falso que usa indevidamente a nossa marca. Este perfil entra em contato com clientes oferecendo cupons de desconto e solicitando informações pessoais. Não se engane, são criminosos se passando por nós! Não passe seus dados, nos ajude a denunciar”, destacou a empresa em pronunciamento.

Para Flávio a surpresa chegou no momento em que os próprios clientes começaram a indagar sobre a suposta promoção anunciada. Na ocasião, os criminosos solicitavam os dados pessoais dos clientes, em troca de um sorteio de rodízio, modalidade de atendimento que nem mesmo é oferecida pelo local.

“Quando passou da segunda mensagem em nossa rede social, perguntando sobre o sorteio do rodízio, já tomamos conta de que se tratava de um perfil fake, pois nem mesmo, trabalhamos com rodízio. A partir de então, fizemos um post alertando e estamos sugerindo que aqueles clientes que foram sorteados denunciem o perfil e procurem a Polícia Civil para registrar um boletim de ocorrência”, informou.

De acordo com informações repassadas pela Abrasel-MS, o caso de Henrique não foi o único neste mês de janeiro. Somente neste período do ano, pelo menos seis empresas do segmento foram afetadas por tal prática em Campo Grande. Contudo, a associação afirma que essa mesma situação ocorreu em 2020, e de modo geral, os golpistas criam um perfil ou página falsos com nome similar do local, às vezes acrescentando pontos ou letras, utilizando logomarca e fotos reais baixadas das redes verdadeiras, para enganar os clientes mais desatentos e dessa forma aplicar os golpes.

Para os clientes, o presidente da entidade, Juliano Wertheirmer, reforçou a necessidade de se checar diretamente com os estabelecimentos a veracidade das mensagens e nunca enviar dados pessoais ou bancários. “Bares e restaurantes que foram vítimas dessa clonagem estão alertando em suas redes sobre o ocorrido, mas é fundamental que os clientes estejam atentos, e nunca passarem qualquer dado sem checar diretamente com o local. Os estabelecimentos não costumam enviar SMS ou direct solicitando informações, códigos ou senhas e que isso já é um indicador da possibilidade de golpe, por isso o cliente deve estar alerta”, pontuou.

A entidade explicou, ainda, que os estabelecimentos que tiverem seus perfis ou páginas clonados devem realizar denúncia nas próprias redes sociais, para que o falso seja retirado do ar e, em casos mais graves, denunciar junto às autoridades competentes. O mesmo para os clientes que foram vítimas de golpes: devem denunciar imediatamente à polícia, bem como relatar nas redes.

(Texto: Michelly Perez e Izabella Cavalcante)

 

Confira a notícia completa em nossa versão digital.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.