Crânio descoberto pode mudar o que sabemos sobre evolução

O professor Yohannes Haile-Selassie – ligado ao Museu de História Natural de Cleveland em Ohio, nos EUA – descobriram em Miro Dora, na Etiópia, um crânio quase completo de um ancestral do homem que viveu há 3,8 milhões de anos na Etiópia.  em um local chamado

A descoberta, que pode nos fazer repensar a tese de que os humanos vieram de uma espécie em particular de primata, a que pertence Lucy – cujos restos mortais foram encontrados em 1974, foi publicada na revista científica Nature, desafia a ideia que temos sobre evolução humana. (Jean Celso com informações da BBC Brasil)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.