Cotada a comandar União Brasil, Soraya quer Rose para governadora em MS

ROSE MODESTO
Eliane Ferreira

Senadora convida deputada tucana para encabeçar chapa pelo ‘super partido’ criado da fusão PSL-DEM

Cotada a presidir em Mato Grosso do Sul o União Brasil, a senadora Soraya Thronicke quer a deputada federal Rose Modesto como candidata ao Governo do Estado no ano que vem pelo partido que está sendo criado com a fusão do PSL e DEM. A nova legenda deverá ter grande peso nas eleições nacionais e estaduais em 2022, já que vai nascer com a maior bancada na Câmara dos Deputados, o que significa mais verba partidária e tempo de rádio e TV do que os demais.

Thronicke acredita que a junção dos dois partidos vai fortalecer a nova sigla que terá o número 44 nas urnas. Com a fusão recém aprovada em convenções pelas duas siglas, o novo partido agora aguarda a homologação do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para disputar as eleições do ano que vem. “Estaremos com chapa completa. Vamos trazer mulheres muito fortes, inclusive estamos de namoro.

O União está trabalhando alguns nomes, inclusive o nome da deputada Rose Modesto para o governo do estado” disse a senadora em entrevista ontem ao Jornal da Rádio Hora, em Campo Grande.

Soraya também admitiu a possibilidade de o partido disputar as eleições estaduais indicando um nome para vice em uma eventual aliança, mas deixou claro que a prioridade é ser “cabeça de chapa”. “Não seremos coadjuvantes, seremos protagonistas. Mas pode até acontecer de vir uma vice”. Ela falou que o projeto é ousado. “Estamos preocupados e o União Brasil vem com um agenda anticorrupção, liberal na economia, agenda de ‘estado necessário’, porém enxuto e conservador. Todos querem prosperar e o União Brasil vem para isso”.

As avaliações de nomes regionais já está sendo feita pelo novo partido, por meio de pesquisas qualitativas e quantitativas, para levar “mulheres fortes” a candidaturas, adiantou. “Já estamos conversando, unindo várias outras siglas neste projeto grande e ousado, e que tem tudo para dar certo. O eleitor sul-mato-grossense quer uma virada de chave, quer experimentar algo novo, mas de políticos também experientes. Eu estava na cadeira de pré-candidata, mas com a Rose a gente consegue caminhar. Eu não tenho esse tipo de vaidade, eu abro mão. Se for para algo que vai construir, nós iremos todos construir juntos, ou juntas”.

O nome da deputada Rose é bem citado por partidos no Estado. Ela é assediada pelo Podemos, e revelou ao Jornal O Estado em ocasião passada que seis partidos já tinham feito convites para futura filiação, inclusive o PSL. Com a fusão e criação do “superpartido”, se amplia o espaço político para que Rose deixe o PSDB.

Ela, entretanto, tem evitado antecipar uma decisão sobre seu destino político no ano eleitoral de 2022. Só admite, por enquanto, que vai estudar os espaços, ouvir os eleitores e verificar pesquisas para decidir se disputará a reeleição ou partirá para um voo maior. (Texto: Andrea Cruz)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *