Confiança do empresário industrial de MS cresce em julho

O ICEI-MS (Índice de Confiança do Empresário Industrial de Mato Grosso do Sul) avançou 1,6 ponto em junho, alcançando 61,3 pontos, interrompendo uma sequência de cinco quedas consecutivas. O resultado também é melhor que o do mesmo período do ano passado (10,2 pontos acima) e 7,5 pontos maior que a média histórica para julho.

Segundo a Sondagem Industrial, realizada pelo Radar Industrial da Fiems, 51,4% dos empresários se mostraram confiantes e acreditam que o desempenho da economia brasileira vai melhorar. Já em relação à economia estadual, esse percentual chegou a 45,8% e, no caso da própria empresa, 58,3% dos respondentes confiam numa melhora do desempenho apresentado.

Em julho, 22,2% dos respondentes consideraram que as condições atuais da economia brasileira pioraram, e no caso da economia estadual, a piora foi apontada por 19,5% dos participantes, e com relação à própria empresa, as condições atuais também estão piores para 19,5% dos respondentes. Além disso, para 41,7% dos empresários não houve alteração nas condições atuais da economia brasileira, sendo que em relação à economia sul-mato-grossense esse percentual foi de 44,4% e, a respeito da própria empresa, o número chegou a 37,5%.

No mês de junho, 54,2% das empresas industriais sul- -mato-grossenses apresentaram estabilidade na produção, ao passo que no mês anterior esse resultado era de 58,6%. A pesquisa colheu dados com 72 empresas entre 1 e 11 de julho. Já as empresas que apresentaram queda responderam por 32% do total, contra 18,6% no último levantamento, indicando uma piora no ritmo da atividade industrial na passagem entre os meses de maio e junho.

O coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, explica que a capacidade ociosa da indústria estadual permanece elevada. Ele acrescenta que a Sondagem Industrial mostrou, ainda, que, em junho, a utilização da capacidade instalada ficou abaixo do usual para 40,3% dos respondentes, igual ao usual para 51,4% e acima para 6,9%. Já as condições financeiras apresentaram pequena melhora na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, mas ainda seguem longe do ideal.

Resende completa que comportamento semelhante foi verificado em relação às condições de acesso ao crédito e situação financeira geral da empresa, com os indicadores alcançando 42,2 e 47,5 pontos, respectivamente. “Em Mato Grosso do Sul, no segundo trimestre de 2019, 34,8% dos empresários industriais consideraram ruim a margem de lucro operacional obtida no período. Na mesma comparação, o acesso ao crédito foi considerado difícil por 20,9% dos empresários, ao passo que 25% responderam não ter buscado crédito no trimestre”, explicou.

Já a situação financeira geral da empresa foi avaliada como ruim por 23,6% dos participantes e, por fim, 37,5% responderam que houve aumento dos preços das matérias-primas utilizadas. A Sondagem Industrial também apontou que as principais dificuldades enfrentadas pelos industriais de Mato Grosso do Sul no 2º trimestre de 2019 foram a elevada carga tributária, demanda interna insuficiente, falta ou alto custo da matéria-prima, falta ou alto custo de energia, competição desleal, falta de capital de giro e burocracia excessiva. (Marcus Moura com Fiems)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.