Novo presídio incrementa em 13% a capacidade de vagas para o regime fechado masculino

Presídio

Ministro da Justiça destacou que a unidade vai reduzir a lotação do sistema carcerário

Com 603 vagas e um investimento de mais de R$ 18,5 milhões, foi inaugurada, ontem (19), a Penitenciária Estadual Masculina de Regime Fechado da Gameleira II, em Campo Grande. A promessa é de que a nova unidade contribua para aumentar em 13% a capacidade para presos dessa categoria em Mato Grosso do Sul, em que há maior demanda de custodiados.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, esteve na Capital para a inauguração do local e também para a implantação do CIISPR-CO (Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública Regional Centro-Oeste).

Segundo o diretor-presidente da Agepen-MS (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário de Mato Grosso do Sul), Aud de Oliveira Chaves, o presídio contribui para a diminuição da lotação do setor carcerário, e devem ser abrigados no local detentos processados e faccionados.

“Com essa inauguração, além de contribuir para lotação, proporciona condições técnicas para separação de internos que não possuem convívio com outros presos, principalmente faccionados. A proposta é de que não atue com lotação máxima, deixe sempre 10% das vagas para algumas situações que requeiram transferências emergenciais de presos no Estado”, assegurou.

Conforme Chaves, há previsão de que o número de vagas em Mato Grosso do Sul passe a ser ainda maior, já que 908 devem ser abertas em presídios masculinos de Dois Irmãos do Buriti, Naviraí, Nova Andradina, Paranaíba, Três Lagoas e no Presídio de Trânsito de Campo Grande.

Para o governador Reinaldo Azambuja, Mato Grosso do Sul necessita de uma alta demanda de vagas nos presídios, por conta das frequentes apreensões de drogas, que, segundo ele, neste ano já cresceram 17% em relação ao mesmo período do ano passado.

“Mato Grosso do Sul tem um dos sistemas prisionais mais robustos do mundo, sabemos que as maiores apreensões de drogas ocorrem aqui, somos de longe o Estado que mais apreende drogas, fruto do trabalho das nossas polícias e também questão de localização, já que fazemos fronteira com Bolívia e Paraguai. A gente apreende muito e temos muitos presos, isso acaba comprimindo o sistema prisional”, explicou.

O governador ainda reforçou que, em parceria com o Depen (Departamento Penitenciário Nacional), está sendo concluído o presídio feminino. “São 407 vagas e daqui a uns
dias vamos concluir e entregar também; isso fortalece nossa segurança”, disse.

Anderson Torres, ministro da Justiça e Segurança Pública, enfatizou que a segurança pública de Mato Grosso do Sul é prioridade para o governo federal, principalmente por conta da fronteira com Bolívia e Paraguai.

“Estamos fazendo nossa parte, estruturando a segurança pública, temos uma visão muito apurada dessa questão penitenciária no Brasil. A gente entende que a segurança pública passa pelos presídios, que uma das grandes saídas para o problema da segurança pública brasileira é o sistema penitenciário, enfrentar a questão da ressocialização e saber o que será feito desse mais de meio milhão de pessoas que se encontra encarceradas no Brasil. O Estado de Mato Grosso do Sul tem feito bem isso, essa inauguração é um exemplo de seriedade e vem ao encontro desse trabalho integrado”, ressaltou. Acesse também: Requalificação na Antiga Rodoviária anima comerciantes da região

(Texto: Mariana Ostenberg)

Mais notícias no Jornal Impresso

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.