Lightyear: Filme da Pixar traz origens de personagem de “Toy Story” e capricha nos efeitos visuais

Lightyear
Foto: Divulgação

Por Marcelo Rezende – Jornal O Estado

“Lightyear”, que estreia hoje(16) nos cinemas brasileiros, é o novo filme da Pixar que traz a origem do patrulheiro Buzz. O longa é um spin- -off do personagem de “Toy Story”. O elenco de dublagem no Brasil traz Marcos Mion como Buzz, Adriana Pissardini, César Marchetti, Flora Paulita, Henrique Reis, Lucinha, entre outros. A direção é de Angus MacLane, vencedor do Annie Award e também diretor de “Procurando Dori” (2016), já o roteiro fica por conta de Jason Headley e Angus MacLane.

O filme original em inglês conta com a participação de Chris Evans (conhecido por interpretar o famoso herói Capitão América no MCU) como o bem-sucedido Patrulheiro Espacial Buzz Lightyear, Uzo Aduba, como sua comandante e melhor amiga Alisha Hawthorne, e Peter Sohn como Sox. Keke Palmer, Taika Waititi e Dale Soules emprestam suas vozes para os integrantes da Patrulha Zap Junior: Izzy Hawthorne, Mo Morrison e Darby Steel, respectivamente. Já James Brolin pode ser ouvido como o enigmático Zurg.

O elenco de voz também inclui Mary McDonald-Lewis como o computador de bordo I.V.A.N., Isiah Whitlock Jr. como o Comandante Burnside, Efren Ramirez como Airman Diaz, e Keira Hairston como a jovem Izzy.

Lightyear

Foto: Divulgação

A trama é uma aventura de ação de ficção científica e a história da origem definitiva de Buzz Lightyear, o herói que inspirou o brinquedo em “Toy Story” (1995). “Lightyear” segue o lendário Patrulheiro Espacial depois que em um teste de voo da nave espacial faz com que ele vá para um planeta hostil e fique abandonado a 4,2 milhões de anos-luz da Terra, ao lado de um grupo de recrutas ambiciosos e seu companheiro robô Sox.

Para complicar as coisas e ameaçar a missão está a chegada de Zurg, uma presença alienígena imponente com um exército de robôs implacáveis e uma agenda misteriosa. Críticas Até o fechamento desta edição, “Lightyear” foi avaliado 103 vezes no Rotten Tomatoes, site que reúne críticas de cinema e televisão, atingindo a aprovação de 82%, ao passo que a nota média ficou em 6,8 de 10. Muitas das impressões ressaltam os efeitos visuais do longa, alegando que estão entre os melhores feitos pela Pixar.

Kirsten Acuna, do site norte-americano de notícias Insider, elogiou o filme e contou que superou suas expectativas. “Como uma grande fã de ‘Toy Story’, estava um pouco cética com a ideia de ‘Lightyear’, mas o diretor Angus MacLane me convenceu! Ele acerta em cheio com uma carta de amor aos épicos de ficção científica que surpreenderá até os maiores fãs da franquia.”

Já o crítico especializado em cinema Zach Pope destacou os efeitos visuais da obra. “‘Lightyear’ superou todas as minhas expectativas, e realmente vai ao infinito e além. É uma jornada espacial épica, incrível de se assistir em IMAX. A animação é impressionante, e cada cena especial é excelente! Adorei esse filme e já quero ver mais do Comando Espacial.”

Lightyear

Foto: Divulgação

Gabriel Mattos, do site Legião dos Heróis, deu nota 4/5 para a nova produção da Pixar “Em todo momento, ‘Lightyear’ equilibra uma narrativa empolgante com um significado emblemático. Não é o filme mais emocionante da Pixar, nem de longe, mas está entre os mais bem resolvidos e profundos. Há uma história por trás da história aqui. Por debaixo do patrulheiro estelar que virou um dos brinquedos mais famosos do cinema, há alguém de carne e osso – mesmo que animado – com erros e acertos. Ninguém é perfeito, nem mesmo o lendário Buzz Lightyear. Mas essa é a questão: isso nunca impediu ninguém de ir ao infinito e além!”

Eduardo Pereira, do site Omelete, classificou o filme como ótimo. “‘Lightyear’ garante que o inegável espetáculo visual e de ação construído em tela pelos animadores da Pixar seja embasado em uma profundidade emocional que não nega a grife ‘Toy Story’. Sem conseguir ser revolucionário, o filme ao menos é feito emocionante e divertido o bastante para ser memorável, com suas muitas referências ao Buzz que já conhecíamos, a Star Wars e a outras grandes marcas da ficção científica (até ‘Gravidade’, de 2013, leva sua menção).”

Gabriel Avila, que escreve para o site Jovem Nerd, também aprovou o longa. “A história se faz épica ao traduzir visualmente toda a grandiosidade desse universo tão distante. O encanto proporcionado por máquinas futuristas, planetas alienígenas e viagens espaciais é construído com tanto capricho que se torna impossível não se maravilhar com as novas etapas da saga espacial. Dessa forma, ‘Lightyear’ volta a homenagear a saga ‘Star Wars’ criada por George Lucas mais de 20 anos após ‘Toy Story 2’ brincar com a ligação entre Buzz e seu inimigo Zurg.”

Apesar dos elogios, o longa já causou algumas polêmicas. Segundo a revista “Variety”, antes de estrear nas telas, “Lightyear ”foi banido de alguns cinemas por mostrar beijo entre pessoas do mesmo sexo. “Lightyear” estreia hoje nos cinemas do país e a classificação indicativa é livre.

Confira mais notícias no Jornal O Estado.

Acesse também as redes sociais do Estado Online no Facebook Instagram.

Leia também:

‘Lightyear’ é banido em alguns países do Oriente Médio por cenas LGBTQIA+

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.