Junho violeta

idoso

Com a pandemia, denúncias aumentaram mais de 50% em Mato Grosso do Sul

Desrespeito, palavra que infelizmente passou a fazer parte do vocabulário de muitos idosos, que no dia a dia vivem episódios de agressão verbal, psicológica e física. Na última terça-feira (15), foi celebrado o Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa. Em tempos de pandemia a data ganha ainda mais relevância devido ao aumento das denúncias de crimes contra essa parcela da população que, no Brasil, corresponde a 30,3 milhões de pessoas.

De acordo com o professor de Direito da Uniderp, Rene Mohr, os idosos têm sofrido mais episódios de maus-tratos desde o início da pandemia de COVID-19. “Esse aumento tem sido constatado na quantidade de denúncias realizadas, mas, infelizmente, temos que considerar que muitos não reportam relacionamentos abusivos aos órgãos, ocasionando subnotificações, o que é ainda mais preocupante”, diz o docente.

Dados do Disque 100, serviço do Governo Federal que recebe denúncias sobre violação dos Direitos Humanos, revelam que, só no primeiro semestre deste ano, foram registrados mais de 33,6 mil casos de algum tipo de violação contra o direito do idoso no país. O mesmo índice apontou que, em Mato Grosso do Sul, nos primeiros meses da pandemia, houve significativo aumento na quantidade de denúncias em relação ao mesmo período do ano anterior: de março a junho de 2019 foram registrados 218 casos; já em 2020, esse número saltou para 379 ocorrências.

“Os relatos mais frequentes são de violência psicológica, quando membros da família ou cuidadores dirigem palavras de menosprezo, diminuindo seu valor. Casos de negligência também são reportados, em que falta a prestação de assistência, de saúde, principalmente”, esclarece Rene.

Violência contra idosos é crime

O Estatuto do Idoso prevê pena de 6 meses a um ano de prisão e multa. Dentre os crimes estão discriminação contra a pessoa idosa que a impeça de ter acesso a operações bancárias e meios de transporte, por exemplo, e deixar de prestar assistência ou dificultar a assistência à saúde. Para quem abandonar o idoso em hospitais e casas de saúde, a pena é detenção de seis meses a três anos e multa.
“Atentar contra a dignidade do idoso é crime e precisa ser denunciado. Caso não seja encaminhado à esfera criminal, há outras medidas que podem ser adotadas para sua devida proteção. É importante, primeiro, que seja feito o registro de quaisquer maus-tratos que estejam ocorrendo, para que os órgãos responsáveis consigam ampará-lo a partir das políticas públicas criadas para o auxílio da pessoa em vulnerabilidade. Em especial nesse período, é preciso buscar soluções para amenizar o sofrimento dos idosos”, conclui o especialista.

Como denunciar

Quaisquer denúncias de violação aos Direitos Humanos dos idosos podem ser feitas no Disque 100, que é o principal canal de comunicação para esse fim, ou pelo whatsapp (61) 99656-5008.

(Bruna Marques)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *