Compulsão por doces cresce na pandemia

Consumir menos açúcar não é tarefa fácil. Com os dias de isolamento social, comer tem sido uma terapia. O tempo livre misturado com a ansiedade é gatilho para que as pessoas passem a ingerir uma quantidade maior de doce. Além do sabor considerado agradável, alimentos com alto teor de sacarose (popularmente conhecido como açúcar branco) funcionam como calmantes emocionais e, por isso, são consumidos em excesso durante momentos de tensão e preocupação, seja por crianças, jovens ou adultos. A pandemia e as incertezas geradas por ela podem acentuar ainda mais o abuso do ingrediente.

Um levantamento realizado entre abril e maio de 2020 revelou que quase metade das mulheres tem consumido chocolates e doces em dois dias ou mais na semana. O índice é 7% maior do que antes da pandemia. Embora a OMS (Organização Mundial de Saúde) recomende o consumo de 25 gramas ao dia e que não ultrapasse a marca de 50 gramas, o brasileiro chega a ingerir 80 gramas, o que equivale a 18 colheres de chá de açúcar.

Para a nutricionista e professora do curso de Nutrição da Uniderp, Bruna Spontoni, a pandemia desencadeia um gatilho emocional na maioria da população. “O corpo busca uma compensação por um excesso ou carência. Afinal, um doce é uma saída fácil para compensar cansaço, tristeza e frustração”, afirma.

Contudo, o gatilho emocional não é o único fator relacionado à compulsão. “Há também o hábito alimentar, por meio do consumo repetitivo de doces diariamente, e carências nutricionais identificadas na deficiência de magnésio e cromo, que podem aumentar o desejo por doces. Tem ainda a alimentação inadequada, como o alto consumo de alimentos refinados que também aumentam a vontade”, destaca Bruna.

Segundo a especialista, a própria situação de isolamento provoca alterações nos hábitos. “O confinamento pode levar a população a ter padrões alimentares irregulares devido ao estresse, principalmente. Esse hábito alimentar irregular é relacionado a uma maior ingestão calórica, o que deixa a população em um maior risco do desenvolvimento de obesidade e outras doenças crônicas como diabetes e doenças cardiovasculares”.

Sobre os prejuízos que o exagero pode acarretar no organismo, Bruna faz uma alerta. “O consumo excessivo e diário de açúcar pode provocar o acúmulo de gordura no organismo, o que leva a um aumento do risco de obesidade e diabetes”. A professora chama atenção, ainda, para o risco de vício. “O açúcar atua no cérebro e libera a sensação de prazer e bem-estar. Assim, ele se torna viciante, e muitas pessoas possuem dificuldade em controlar o consumo, o que pode desencadear ansiedade”, explica.

Como prevenir

O problema está no excesso. Tudo em excesso faz mal. “É importante ter moderação sempre e descobrir maneiras de controlar a ansiedade para conter a compulsão alimentar”, aconselha. Receita saudável para saciar a vontade de doces

Panquecas de banana com aveia

Ingredientes

1 Ovo;
1 Banana pequena amassada;
2 colheres de sopa de aveia em flocos;
Canela a gosto.

Modo de preparo

Unte uma frigideira com um pouco de óleo da sua preferência e leve ao fogo até aquecer. Misture todos os ingredientes e coloque uma colherada grande (ou uma concha) da massa na frigideira. Cozinhe até dourar a parte de baixo. Vire e cozinhe o outro lado até dourar.

Texto: Bruna Marques

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *