O caminho de volta pra casa

caminho

Olhar para si nem sempre é algo fácil. Principalmente quando estamos perdidos de nós mesmos. Seja pelos desafios da vida ou mudanças que fazem parte dela, caminhamos em direção às necessidades que se apresentam e nos perdemos de nossa essência.

Muitas vezes fazemos o que esperam de nós e não o que realmente gostaríamos. Escolhemos com base em interesses externos, sem fazer contato com aquilo que desejamos de fato.

Sem nos darmos conta, criamos um piloto automático de decisões e escolhas que nos leva cada vez mais distantes de nossa essência, daquilo que realmente somos e desejamos.

Nesse processo, podemos adoecer como consequência de termos sido abandonados por nós mesmos. Deixamos de nos conhecer e fazer contato com nossos gostos, vontades e sonhos. Vivemos uma vida que os outros esperam de nós, e não a vida que realmente desejamos viver.

Quando isso acontece o que precisamos é refazer o caminho de volta para casa. Refazer porque já estivemos lá. Nascemos a pura expressão de nossa essência. Quando éramos crianças expressávamos a nossa espontaneidade com mais facilidade. Na medida em que crescemos, caminhamos para atender expectativas externas ou necessidades que, na maioria das vezes, não são genuinamente nossas.

Você pode fazer um breve exercício: feche os olhos por alguns minutos e tente se lembrar de você quando era criança. Era tudo mais leve, fluido e espontâneo, não é mesmo?

Refazer um caminho implica esforço e mudança. Significa olhar para o que precisa ser mudado e retornar a si mesmo.

Um bom começo é reconhecer hábitos que não nos cabem mais. Não nascemos com eles, e se não fazem mais sentido podemos mudá-los a partir do esforço de nossa vontade. Um hábito de cada vez, um passo por dia, com menos cobrança e mais generosidade consigo podem funcionar.  O mesmo vale para criar hábitos saudáveis, que estejam em sintonia com a nossa verdade presente.

Vale também reavaliar relações que, em nosso íntimo sentimos que não nos fazem bem. Nossos sentimentos são a voz do coração. São guias que nos mostram por onde seguir e o que precisamos mudar, seja o posicionamento ou forma de se relacionar com determinadas pessoas.

O campo da espiritualidade também pode nos ajudar a se reconectar, a buscar forças em um Poder Superior, que conhece nossa essência e nos ajuda a retornar a nós mesmos. Ele sabe do nosso propósito e quanto mais conectados estamos mais clareza temos sobre quem somos.

Assim percorremos o caminho de volta para nós, à nossa essência, a quem realmente somos, aos nossos sonhos, e voltamos a pertencer a nós mesmos.

Aruana Polon

Psicóloga

https://instagram.com/aruanapolon?igshid=YmMyMTA2M2Y=

 

Confira as redes sociais do O Estado online no Facebook e Instagram

 

 

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.