Novo Ensino Médio será implementado gradualmente

selective soft and blur focus.old wooden row lecture chairs in dirty classroom in poor school.study room without student.concept for education in third world ,donate and charity,background text.

Cronograma foi divulgado pelo Ministério da Educação

A partir de 2022 as escolas brasileiras que oferecem o ensino médio deverão implementar, gradativamente, o programa Novo Ensino Médio, que trará mudanças na carga horária e na estrutura curricular das aulas. O cronograma e as ações foram divulgados no último dia 14, no Diário Oficial da União. Dentre as mudanças está a ampliação da carga horária mínima das atuais 800 horas para 1.000 horas anuais.

O programa deve contemplar as aprendizagens essenciais e comuns a todos os estudantes e ofertar diferentes possibilidades de escolha a partir dos itinerários formativos incluindo a formação técnica e profissional de forma a aprofundar conhecimentos e ajudar na inserção no mercado de trabalho.

Conforme o cronograma, a implementação começará no ano que vem, de forma progressiva, com as 1ª séries do Ensino Médio. Em 2023 continuará com as 1ª séries e dará início às 2ª séries e completando o ciclo de implementação nas três séries do ensino médio em 2024.

O investimento no projeto é de mais de R$ 70 milhões nas secretarias de educação para readequação de seus referencias curriculares e para formação dos profissionais de educação, com repasse a mais de quatro mil escolas piloto, totalizando R$ 360 milhões em apoio financeiro, conforme o MEC.

Segundo o Ministério da Educação, um novo Programa de Fomento à Implementação dos Itinerários Formativos será lançado ainda neste ano para dar apoio técnico e financeiro às escolas de ensino médio e a integração entre as instituições de ensino superior, setor produtivo, escolas e secretarias de educação.

Conteúdos e cronograma

Com o Novo Ensino Médio, o estudante poderá escolher em qual área quer aprofundar seus conhecimentos ao longo da formação. O projeto poderá ofertar até cinco itinerários formativos, que podem variar conforme o contexto no qual a escola está inserida e de acordo com as necessidades e interesses dos estudantes. As redes de ensino terão autonomia para definir os itinerários ofertados.

Os itinerários são: linguagens e suas tecnologias, matemática e suas tecnologias, ciências da natureza e suas tecnologias, ciências humanas e sociais aplicadas e formação técnica e profissional.

O cronograma divulgado apresenta as seguintes divisões:

1) No ano de 2021: aprovação e homologação dos referenciais curriculares pelos respectivos Conselhos de Educação e formações continuadas destinadas aos profissionais da educação;

2) No ano de 2022: implementação dos referenciais curriculares no 1º ano do ensino médio;

3) No ano de 2023: implementação dos referenciais curriculares nos 1º e 2º anos do ensino médio;

4) No ano de 2024: implementação dos referenciais curriculares em todos os anos do ensino médio;

5) Nos anos de 2022 a 2024: monitoramento da implementação dos referenciais curriculares e da formação continuada aos profissionais da educação.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *