Toffoli propõe luta contra forças sectárias e fake news

Crédito: Agência Brasil
Crédito: Agência Brasil

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Dias Toffoli, que esteve em Campo Grande ontem (17), pontuou que é preciso ter atenção diante de forças autoritárias e antidemocráticas que fazem parte do cenário politico do país. Toffoli declarou o importante trabalho da Justiça Eleitoral e para desmentir fake news e dar segurança à sociedade. O ministro recebeu homenagem durante evento em comemoração aos dez anos de fundação do COJE (Colégio de Ouvidores da Justiça Eleitoral) na sede do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de MS).

Para o ministro, o uso da internet por extremistas políticos, pessoas antissistema e anti-instituições que passou a crescer nos últimos anos no Brasil deve ser combatido. “A polarização política pode ser uma novidade no cenário brasileiro nos últimos anos. Mas está longe de ser um fenômeno exclusivo do nosso país. Os exemplos de democracias que convivem historicamente com esse fenômeno são abundantes.

Alguns estudiosos chegam a consideram que o termo ‘polarização’ já não é o suficiente para definir a complexidade comumente e preferem falar em momento
de sectarismo político.” Ele citou o exemplo da última eleição presidencial dos Estados Unidos e em sua visão o país também não está livre de derivados do populismo e sectarismo. Para Toffoli, a invasão ao Capitólio demonstrou o quão grave é a mentira disseminada em massa.

“No Brasil, a emergência de políticos sectários com o uso das tecnologias em larga escala levou a orquestrações antidemocráticas, que atacaram frontalmente as instituições. Foi preciso que a democracia defendesse a própria democracia e a Constituição. Foi preciso que o STF e o TSE tenha atuado de forma coesa para desempenhar papel central para conter as condutas criminosas desses movimentos de inspiração autoritários. Movimentos que apostam em desinformação e na memória curta das pessoas.”

Confira a notícia completa aqui, em nossa versão digital

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *