Maior parte do eleitorado de MS votou em candidatos do PSDB

Partido contabilizou 270.861 eleitores somente no somatório entre prefeitos

Em Mato Grosso do Sul, o PSDB teve o maior número de eleitores, em levantamento contabilizando o voto de prefeitos eleitos no Estado. Em seguida está o PSD, que teve apenas quatro prefeitos vencedores, mas por Marquinhos Trad ter vencido na Capital ficou em segundo no número de eleitores.

Os tucanos dominam o interior com 37 prefeituras, entre elas Corumbá, Três Lagoas e Ponta Porã. Eles contabilizaram 270.861 votos, ou seja, a maioria dos eleitores de Mato Grosso do Sul ainda elege os tucanos para o comando de suas cidades.

O PSD ainda tem menos prefeituras que o Democratas. O partido de Nelsinho Trad obteve 231.019 votos e, desses, o total de 218.418 correspondentes aos eleitores de Marquinhos Trad na Capital. O PSD fez prefeitos em Água Clara, Fátima do Sul e Juti.

O partido Democratas surpreendeu e foi o que mais cresceu nessas eleições. A sigla contabilizou 59.263 eleitores que elegeram 14 prefeitos nas cidades de: Alcinópolis, Antônio João, Camapuã, Coxim, Deodápolis, Inocência, Itaquiraí, Ivinhema, Jardim, Ladário, Nova Alvorado do Sul, Paraíso das Águas, Pedro Gomes, e Sonora.

O MDB se enfraqueceu e elegeu apenas seis prefeitos nas cidades de Bataguassu, Brasilândia, Coronel Sapucaia, Dois Irmãos do Buriti, Laguna Carapã, Rio Brilhante e Rio Verde do MT. O partido teve um total de 34.200 eleitores.

O Progressistas saiu na frente do MDB, mesmo com três prefeitos eleitos, e contabilizou 46.567 eleitores no Estado. O partido conquistou o segundo maior município com a eleição de Alan Guedes que teve 34.242 votos. O PP também elegeu prefeitos em Costa Rica e Iguatemi.

As eleições deram espaço ao Patriota que teve 10.932 eleitores com vitórias em Eldorado, Glória de Dourados e Tacuru. O mesmo ocorreu com o Podemos, que elegeu dois prefeitos em Aparecida do Taboado e Santa Rita do Pardo, totalizando 5.991 eleitores.

Cinco partidos elegeram prefeitos em apenas uma cidade. É o caso do PL, que em Nova Andradina elegeu Gilberto Garcia com 11.139 votos; o PDT em Paranaíba, com eleição de Maycon Queiroz com 7.674; o PSB em Bonito, que elegeu Josmail Rodrigues com 4.445 votos; o PTB de Figueirão, com eleição do Professor Juvenal com 882 votos; e o PSOL em Ribas do Rio Pardo, com a eleição de João Alfredo com 3.469 votos. O PSL não elegeu prefeitos em MS.

As cidades de Paranhos, Sidrolândia, Angélica e Bandeirantes ainda não possuem prefeitos e a situação está judicializada por conta da impugnação das candidaturas dos candidatos que tiveram maior número de votos. Nessas cidades, existe o risco de a eleição ser anulada e terem de fazer novas eleições em 2021.

Neste ano, o Partido dos Trabalhadores sumiu do mapa no Estado e o único partido de esquerda a eleger um prefeito foi o PSOL, em Ribas do Rio Pardo. De centro- -esquerda pode-se citar o PDT em Figueirão e o PSB em Bonito. Contudo, Mato Grosso do Sul está dominado por partidos de direita e centro em quase sua totalidade.

(Texto: Andrea Cruz)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.