CPI da Energisa aguarda resposta sobre qualidade dos medidores

Felipe Orro (PSDB), em entrevista ao O Estado Play (Foto: Geliel Oliveira/O Estado)
Felipe Orro (PSDB), em entrevista ao O Estado Play (Foto: Geliel Oliveira/O Estado)

Em aguardo por uma resposta da Universidade de São Paulo na quinta-feira (28) sobre retorno das atividades nos laboratórios de engenharia, que devem testar a qualidade dos medidores da concessionária de energia, a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Energisa em Mato Grosso do Sul, deve retomar os trabalhos de onde parou. 

Em entrevista ao O Estado Play, o deputado estadual e presidente da CPI, Felipe Orro (PSDB), disse que após os resultados, a Comissão pode esclarecer as dúvidas da população. De acordo com o presidente da CPI, serão tratados durante as sessões: a demissão em massa de funcionários; renovação do quadro de contratados; substituição de fiação elétrica, realizados pela concessionária.

“Nós estamos aguardando esse retorno do laboratório da USP de São Carlos para fazer essa perícia. Vamos dar uma resposta à população do Estado”, afirmou o deputado.

O parlamentar também repercutiu sobre a multa de R$ 11.672.127,21, imposta à concessionária de energia, que segundo ele ocorreu justamente pela irregularidade nos serviços.

 “A empresa Energisa foi multada pela Aneel em mais de R$ 11 milhões, por não prestar serviço de qualidade exigido no mínimo pela Aneel. Hoje nós vimos que diminuíram: os funcionários, coautores e a qualidade do atendimento. Esse vendaval só aflorou os problemas já existentes”, aponta ele.

Convite

Felipe Orro convidou ainda a população do Estado, a documentar todo tipo de queixa contra a concessionária. “A CPI vai apurar todas as denúncias encaminhadas de preferência junto ao Procon [Estadual] ou até mesmo por boletim de ocorrência. É uma luta desigual, estamos praticamente contra uma empresa gigante muito poderosa e precisamos do apoio da população”, finaliza. Colaborou Geliel Oliveira.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.