Acidente com capotamento termina com desrespeito e confusão entre policial federal e policiais militares

briga entre policiais
Reprodução/Diário Corumbaense

Um acidente de trânsito, com capotamento de veículo, na madrugada de ontem (27), deixou uma mulher ferida, e gerou confusão envolvendo policial federal e policiais militares em Corumbá – distante 417 quilômetros de Campo Grande. A colisão, entre um Citroen preto e uma Pick Up branca, aconteceu no cruzamento das ruas América e Antônio João após um deles avançar o sinal vermelho.

Conforme o Diário Corumbaense, sem CNH (Carteira Nacional de Habilitação), condutor do Citroen que estava acompanhado da esposa afirmou ter avançado o sinal, o que ocasionou o acidente.  O outro veículo era conduzido por um agente da Polícia Federal, que se manteve calmo e seguindo as orientações da guarnição da Polícia Militar que atendeu a ocorrência.

A confusão foi causada por outro policial federal que chegou ao local depois da colisão, e segundo o próprio, teria “estudado muito” para não fazer parte “dessa instituição corrupta”, que seria a Polícia Militar.

Ainda segundo o boletim de ocorrência, os insultos aconteceram após a guarnição da Polícia Militar comunicar sobre a realização de teste de alcoolemia em razão de o “segundo condutor assumir ter ingerido bebida alcoólica e também pelo policial federal, apesar de tranquilo, apresentar odor etílico”.

Alterado, o colega de trabalho do PF teria interferido, afirmando que, com a realização do bafômetro, os policiais militares queriam “ferrar o colega” e que deveria existir “cordialidade entre policiais” porque eles “seguram muitos boletins de ocorrência de corrupção da polícia Militar”.

Questionado pelo policial militar sobre “onde mais existe corrupção?”, o agente federal teria aumentado o tom de voz e “apontado o dedo indicador” ao militar do 6º Batalhão da PM. Também teria dado “dois passos para trás” e levado “a mão direita na cintura com intenção de saque”, sendo contido pelo colega que havia se envolvido no acidente de trânsito e acompanhava a ocorrência com total “calma e respeito legal”.

Ainda agressivo, o colega do PF foi, foi desarmado, algemado e levado para a Delegacia de Polícia Civil.

Já no Distrito Policial, o policial federal teve a arma devolvida e as algemas retiradas por ordem da delegada de plantão. Ele ainda teria questionado sobre o telefone celular dele e novamente insultado os policiais militares.

Na Delegacia de Polícia Civil, o condutor do Citroen preto teve elaborado auto de infração por dirigir sob influência de álcool e por dirigir veículo sem possuir habilitação. Para o condutor da Pick Up branca, foi feito auto de infração por recusar-se a se submeter a teste/exame clínico, perícia ou outro procedimento que permita certificar influência de álcool ou outra substância psicoativa na forma estabelecida pelo artigo 277 do Código Brasileiro de Trânsito.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.