Covid-19: paratleta de MS cita redução no risco de contágio como principal ponto

Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

A pouco menos de três meses da abertura da Paralimpíada, pelo menos dois atletas sul-mato-grossenses tomaram a primeira dose da vacina contra a COVID19. Debora Raiza Benevides e Fernando “Cowboy” Rufino postaram na quarta-feira (26) imagens em suas redes sociais durante a imunização feita no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo (SP).

Na semana passada, depois da participarem com a seleção brasileira da primeira etapa da Copa do Mundo de Canoagem e Paracanoagem, em Szeged, na Hungria, Debora argumentou sobre os prós de os atletas e paratletas serem vacinados. “Nós atletas, vamos estar na linha de frente, pois terá atletas de todo o mundo”, disse a campo-grandense de 26 anos. “Iremos representar o nosso país, a nossa bandeira”, completou.

Garantida em Tóquio 2020, a brasileira ressalta que os demais participantes dos Jogos também têm a vacina à disposição. A imunização é fruto de uma parceria do COI (Comitê Olímpico Internacional), com a Pfizer-BioNTech, empresa que doará as doses. No Brasil, as injeções começaram a ser aplicadas no dia 14 deste mês.

Somente na Paralimpíada, prevista para começar em 25 de agosto, são esperados aproximadamente 4 mil competidores de 160 países. Segundo o CPB (Comitê Paralímpico Brasileiro), a delegação nacional deve reunir 230 paratletas de 20 modalidades. Até o momento, 175 atletas já foram confirmados.

“Imagina, que nós, atletas, decidimos não tomar vacina e vamos para lá [Tóquio]. O risco é muito maior para toda a população brasileira. Aí, chega lá, um pega o vírus, o outro pega e aí voltamos para o nosso país e a coisa fica pior ainda”, comenta Debora Raiza.

Ela discorda de que os atletas tenham furado a fila. “Temos de olhar com a perspectiva de que, realmente, nós, estamos na linha de frente. Não só para proteger nossa família, mas, sim, a população brasileira”, acrescentou.

Rufino fala em dia histórico

O Cowboy considerou a vacinação como um dia histórico. “Passo muito importante para minha vida e minha carreira. Marco entre a esperança e a realização de sonhos que virão no decorrer dos dias”, escreveu anteontem em sua conta no Instagram.

Na semana passada, também à reportagem, Fernando Rufino havia manifestado opinião semelhante à de Debora Raiza. “Passo mais segurança para mim mesmo e para meus amigos e minha família… Amigos, família, pessoas que torcem por mim, creio que eles vão se orgulhar disso, da gente estar competindo, é o nosso trabalho, precisamos, necessitamos dessa vacina”, falou o paracanoísta que completou 36 anos no sábado (22).

“Estamos dentro da lei, estando dentro da lei, não temos problema nenhum, e a gente está de cabeça erguida fazendo esse trabalho”, completa Rufino. (Texto: Luciano Shakihama)

Veja também a matéria: https://oestadoonline.com.br/wp-admin/post.php?post=146113&action=edit

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.