Pesquisadores fazem estudo sobre Pantanal “em chamas”

Foto: Reprodução/Governo de MS
Foto: Reprodução/Governo de MS

Os professores e pesquisadores, dra. Patrícia Vieira Pompeu e dr. Guilherme Silvério Aquino de Souza, docentes do curso de graduação em Engenharia Florestal na UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), estão a se dedicar a estudar o Pantanal – principalmente na análise do fogo histórico no bioma sul-mato-grossense ocorrido no ano passado.

Um estudo da dupla foi divulgado na sexta edição da Revista Corumbella. Segundo os pesquisadores, e de acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), um volume de área que corresponde a 27% do Pantanal (em MS e MT) foi consumido pelo fogo em 2020.

Os docentes reúnem dados de toda a área do Pantanal e, a partir do mapa base de ocorrências de incêndios, utilizam algoritmos para relacionar a dados ambientais, como derivados de temperatura, precipitações e dados topográficos, como altitude, orientação da encosta e declividade.

“A partir da junção desses dados, o modelo gera a área com maior probabilidade de ocorrência e propagação de incêndios. Iremos gerar mapas em diferentes períodos de tempo para analisar os padrões espaciais e temporais. Assim, além de gerar um mapa com a probabilidade para o presente, vamos apresentar um mapa de ocorrência para o futuro, auxiliando para um melhor direcionamento da prevenção desses incêndios”, esclareceu a pesquisadora.

E complementou: “os resultados estão prontos, e, em breve, iremos publicá-los para que possam contribuir com as políticas públicas e, também, organizações não governamentais (ONGs) que trabalham com a prevenção e combate dos incêndios florestais”, adiciona.

Além de analisar os lugares mais suscetíveis aos incêndios florestais, o interesse da pesquisa é formar uma metodologia mais rigorosa de proteção contra a devastação que o Pantanal vem sofrendo.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.