#STFproibiusim é “O” assunto do Brasil

#STFproibiusim é “O” assunto do Brasil

#STFproibiusim é “O” assunto do Brasil. Pelo menos no momento com mais de 86 mil menções e subindo. A hashtag está movimentando o Twitter. Os usuários da rede do “passarinho azul” contestam o que o STF (Supremo Tribunal Federal) diz.

Esta briga sem fim, voltou a ser o principal tema nas ruas e redes. O que aconteceu após, o presidente Jair Bolsonaro voltar a dizer que o Supremo Tribunal Federal concedeu mais poderes para governadores e prefeitos do que para o governo federal. Destacando que isso aconteceu durante o combate à pandemia. 

Então, para provar, citou determinação do plenário da Corte feita em abril de 2020. Mais um vez, o STF reafirma o que fez. “ A União, estados e prefeituras tinham que atuar juntos, com medidas para proteger a população”

reação

Tudo começou nesta quarta-feira (28),  quando o STF reagiu ao que chamou de fakenews. Está no perfil do “magistrado” que postou o seguinte: “O STF não proibiu o governo federal de agir na pandemia! Uma mentira contada mil vezes não vira verdade! Compartilhe este vídeo e leve informação verdadeira a mais pessoas. #VerdadesdoSTF #FakeNewsNão

Entretanto, gerou reação em massa de quem apoia o governo federal. Veja como está o assunto aqui

#STFproibiusim é “O” assunto do BrasilAo que tudo indica, é mais um movimento em prol do voto impresso. Mas, aquele suposto clima de paz entre os poderes, mais uma vez acabou. Prova disso é o discurso do presidente de outro órgão jurídico, STE (Superior Tribunal Eleitoral), Luís Roberto Barroso.

hoje

Já nesta quinta-feira (29), ele citou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Em primeiro lugar afirmou: “‘Se eu perder houve fraude’ é um discurso de quem ‘não aceita a democracia’”.

Em segundo lugar, este presidente ainda rebateu Bolsonaro. “Em 2014, o partido do candidato derrotado pediu auditoria do sistema. O que foi feito. Além disso, o próprio candidato reconhece que não houve fraude. Isso não aconteceu. Nunca se documentou, por que o dia que se documentar, o papel da Justiça Eleitoral é imediatamente apurar”, argumentou Barroso.

Todavia completou. “Uma fraude exigiria que muita gente no TSE estivesse comprometida. Isso seria uma conspiração de muita gente. Assim, Não há precedente e não há razão para se mexer num time que está ganhando”.

MAS, QUER MAIS NOTÍCIAS? CLIQUE AQUI!

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.