Dark Card: Polícia investiga ex-servidores que usavam o cartão corporativo de prefeitura do interior

Divulgação/Polícia Civil
Divulgação/Polícia Civil

Os gastos irregulares ultrapassam a casa de R$ 1 milhão

A Polícia Civil realizou a Operação Dark Card na manhã desta quinta-feira (30), cumprindo mandados de busca e de prisão contra três ex-servidores investigados por usarem irregularmente o cartão corporativo da Prefeitura de Rio Brilhante, a aproximadamente 163 quilômetros de Campo Grande. Os gastos irregulares ultrapassam a casa de R$ 1 milhão.

A investigação teve início a partir de apuração da Prefeitura de Rio Brilhante, em que foi identificado gastos exorbitantes com combustíveis, em um posto na cidade de Nova Alvorada do Sul.  Até agora, somente foi localizado um dos suspeitos, mas as equipes da Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado)  continuam procurando por outros suspeitos, pistas e testemunhas.

Pelo que foi apurado pela polícia, o servidor comissionado não era responsável por nenhum veículo oficial e não houve abastecimento de nenhum veículo da Prefeitura no referido posto de combustível. Além desse servidor, também foram colhidos indícios de participação do, então, controlador do município de Rio Brilhante, e também de um ex-servidor comissionado da Prefeitura de Nova Alvorada do Sul, que teriam conexões com os estabelecimentos beneficiados.

Foram encontrados e apreendidos na residência do primeiro detido cinco cartões corporativos da Prefeitura de Nova Alvorada do Sul e um veículo GM Tracker, que teria sido adquirido recentemente pelo ex-servidor investigado. Foi também expedido um mandado de busca e apreensão no posto de combustível investigado, onde foram apreendidos um computador e R$10.750,00.

(Com informações do repórter Itamar Buzzatta)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.