Comerciantes reclamam de “quebra-quebra interminável” nas obras da 7 de Setembro

7 de setembro
Foto: Nilson Figueiredo

Por Suelen Morales – Jornal O Estado

Uma nova obra na Rua 7 de Setembro, centro de Campo Grande, tem causado transtornos para os comerciantes locais que tiveram redução de 80 a 90% nas vendas em razão da interdição total da rua. O trecho está repleto de recortes, escavações profundas e recortes na calçada recém-construída. A informação inicial era de que seria feito um recapeamento na via por meio do projeto Reviva Campo Grande, porém foi encontrado um vazamento e a Águas Guariroba foi acionada assumindo a frente das obras.

Para o professor de geografia e comerciante Ronaldo Pangoni, 49, não existe estudo ou preparo para a execução das obras. “É um absurdo o que estão fazendo aqui na rua, 8h não tinha ninguém aqui, chegaram só às 9h e se reparar ficam no celular. Existe uma desorganização total, despreparo dos funcionários que não sabem o que estão fazendo e nem onde estão esburacando e, ainda, um descaso com os resíduos da obra que deixados na calçada, no meio do caminho. Pegam terra de um lado e jogam para o outro, um funcionário estava perfurando a quase um metro já chegando perto da tubulação de gás e ainda me falou ‘passa gás aqui?’. Ficam no celular, chegaram às 9h para trabalhar, não tem supervisão, engenheiro responsável e estão retalhando tudo o que foi feito recente mente, como as calçadas”, apontou.

Outro comerciante, Douglas Batista, 46, nem mesmo abriu a vitrina de sua papelaria. “Estamos nessa situação de não saber mais quanto tempo vão durar essas obras. Tivemos a redução nas vendas de 80 a 90%, como pode ver, não entra ninguém na loja. A gente abre porque temos responsabilidade com nossos clientes. Mas o comércio está fechando as portas, aqui na rua vários já encerraram as atividades por causa da obra”, desabafou.

Com alternativa para a queda nas vendas, o empresário Diego Breschigliari, 35, tem investido no canal de atendimento pelo WhatsApp. “O cliente tenta vir presencialmente 1, 2 vezes e então desiste. Mas fazemos o atendimento on-line com o serviço de entrega também. Fisicamente temos um estacionamento próprio, mas que os clientes não conseguem usar devido as obras. É um transtorno, mas acredito que para melhoria da cidade”, afirmou.

Em nota, a Prefeitura de Campo Grande informou que a intervenção entre as Ruas 7 de Setembro, 13 de Maio e Rui Barbosa não se trata do projeto Reviva Campo Grande. “Esclarecemos que, no dia 20 de junho, a empreiteira responsável entrou no trecho para execução de recapeamento, mas foram encontrados vários problemas com relação aos ramais de água e esgoto, que necessitavam de manutenção. Sendo assim, a concessionária Águas Guariroba foi acionada para sanar a questão e, desde então, as equipes que estão no local são da concessionária e não do Reviva.

A empreiteira está aguardando a solução dos problemas na rede de água e esgoto para executar o recapeamento, conforme planejado. A Águas Guariroba não informou à Unidade Gestora do Programa o prazo de levará para resolver a questão”, esclareceram.

Por sua vez, a assessoria de imprensa da concessionária Águas Guariroba explicou que atualmente está desenvolvendo os serviços de revitalização por etapas na 7 de Setembro e a previsão é de que os trabalhos sejam finalizados no próximo sábado (25). “Finalizamos o trecho entre a 13 de Maio e Rui Barbosa e partiremos para a próxima quadra, o projeto total do cronograma da prefeitura é de atuação da Rui Barbosa até a Calógeras, inicialmente vamos revitalizar 42 ramais, a previsão é de que até o sábado esses trabalhos sejam finalizados e a prefeitura vai passar o próximo cronograma.

A ideia é que a gente passe as ações de revitalização dos ramais, para que a prefeitura realize posteriormente a pavimentação, por isso, aproveitamos a intervenção da prefeitura com o bloqueio no trânsito para que a gente entre com as nossas equipes atuando na revitalização”, informou a assessoria de imprensa.

Leia mais notícias na edição impressa do Jornal O Estado MS.

Acesse também as redes sociais do Estado Online no Facebook e Instagram.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.