Chegando a 5ºC, MS enfrenta terceira onda de frio do ano

Foto: Nilson Figueiredo/O Estado MS
Foto: Nilson Figueiredo/O Estado MS

Para quem trabalha com água, declínio dos termômetros deixa “coração apertado”

Por: Michelly Perez e Kamila Alcântara

O Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) emitiu ontem (10) um alerta de perigo potencial para risco de queda nas temperaturas em todas as cidades de Mato Grosso do Sul. O comunicado define que, até a próxima segunda-feira (13), os municípios devem apresentar valores mínimos entre 3ºC e 5ºC.

Segundo informações do instituto, para este sábado (11), a expectativa é de que Campo Grande registre uma das menores mínimas na comparação com as demais capitais do país. Os termômetros devem atingir os 12ºC assim como em São Paulo (SP) e Brasília (DF), ficando atrás apenas de Curitiba (PR) com 6ºC, Florianópolis (SC) com 8ºC e Porto Alegre (RS) com 3ºC.

Conforme o Climatempo, a situação se deve a uma forte massa de ar fria de origem polar que vem junto com essa frente fria e caracteriza a terceira onda de frio do ano de 2022 a se espalhar sobre o Brasil. Essa onda de frio será mais forte do que a da segunda quinzena de maio em algumas áreas do país. Além disso, de acordo com informações do Cemtec (Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima do Estado), após a passagem da frente fria sobre Mato Grosso do Sul ontem (10), a expectativa é de que ocorra queda significativa nas temperaturas, tanto máximas quanto mínimas, porém o frio mais intenso ficará restrito à região centro-sul do Estado. São esperadas temperaturas mínimas para as regiões do Cone-Sul, Sul-Fronteira e sudoeste entre 6-10ºC neste dia 11, e no dia 12 de junho temperaturas mínimas entre 4-8ºC; provavelmente no domingo (12) devem ocorrer as menores temperaturas mínimas associadas a esta frente fria.

Para Campo Grande são esperadas temperaturas mínimas entre 8-10°C ao longo do fim de semana. Ressalta-se o acompanhamento das novas atualizações dos modelos de previsão de tempo, pois qualquer mudança na trajetória da frente fria impacta na previsão das temperaturas mínimas sobre Mato Grosso do Sul.

Quem conhece na pele os desafios de trabalhar com temperaturas tão baixas é Nalu Meire, 27 anos, esteticista e proprietária de um salão de beleza localizado no bairro Aero Rancho, na Capital. Segundo ela, os serviços mais procurados são aqueles voltados para os tratamentos estéticos e de beleza neste período de baixas temperaturas.

“O frio chega e o coração aperta. No período de frio as clientes tendem a ‘se esconderem’ um pouco mais, principalmente neste pós-pandemia e com maior índice de gripe, as doenças respiratórias então, o pessoal fica com receio. Além disso, optamos por trabalhar com água fria nos tratamentos capilares e no caso das manicures a cliente tem de usar sapato aberto. O que é mais procurado são os procedimentos estéticos, faciais e até fazemos uma campanha para esses serviços”, opinou.

Para Osimar Rodrigues, 51 anos, que trabalha com tapeçaria de veículos em um lava- -jato na Vila Jacy, em Campo Grande, o “sofrimento” se repete. Em sua área, os serviços chegam a reduzir até 30% com a chegada da frente fria, que afugenta os motoristas a levarem os seus veículos para higienização.

“Cai muito o movimento, com frio e chuva ninguém quer sair de casa, os clientes procuram menos. No meu trabalho cai uns 30%, trabalho nesse ramo tem uns 38 anos e sempre que tem frio é ruim tanto para os clientes quanto pra gente que trabalha com a parte de tapeçaria”, destaca.

Cuidados redobrados Diante disso, o tenente-coronel Fábio Catarineli, coordenador Estadual de Defesa Civil, informou que é importante que a população se atente aos riscos desta queda de temperaturas e que, caso necessário, acione as equipes para assistência e atendimento médico.

“A Defesa Civil recomenda que tenham atenção com a população mais vulnerável: as crianças, os idosos, os doentes e pessoas em situação de rua; beba bastante água e se agasalhe bem e evite locais fechados e com aglomeração e mantenha as mãos higienizada. Atenção também com os animais domésticos. Em caso de acidentes orientamos a entrar em contato com o Corpo de Bombeiros Militar pelo telefone 193 ou o SAMU pelo telefone 192”, explicou.

Ademais relembrou que a população pode se cadastrar para receber, via mensagem de texto nos aparelhos celulares, avisos e alertas climáticos. “Basta enviar o CEP da residência por SMS para o número 40199, na sequência a pessoa recebe uma confirmação da sua operadora de celular e sempre que tem um aviso meteorológico importante para os municípios a defesa civil envia dicas orientativas por SMS”, completou.

Confira mais notícias no Jornal O Estado.

Acesse também as redes sociais do Estado Online no Facebook Instagram.

Veja mais:

Sábado terá tempo estável e avanço de frente fria em MS

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.