Alta de R$ 0,40 no diesel faz caminhoneiros buscarem novas alternativas

aumento diesel
Foto: Valentin Manieri

Aumento nas distribuidoras foi de 8,87%

A partir de hoje, o preço do diesel fica 8,87% mais caro nas distribuidoras, saindo de R$ 4,51 para R$ 4,91 o litro. Com isso, de acordo com o presidente do Sindicam-MS (Sindicato dos Caminhoneiros Autônomos de Mato Grosso do Sul), Osni Carlos Bellinati, vários profissionais da categoria estão procurando destinos mais próximos para não serem tão impactados. Outros, até mesmo, estão desistindo da profissão.

“Muitos companheiros estão desistindo de ser caminhoneiros. Outros estão carregando o que dá para ter um pequeno lucro, com viagens curtas de preferência”, ressaltou Bellinati.

Segundo o diretor-executivo do Sinpetro-MS (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência de Mato Grosso do Sul), Edson Lazarotto, o preço deve impactar, em média, em R$ 0,39.“Deve impactar em média trinta e nove centavos, em cada produto. Quanto à gasolina, não terá alteração neste momento”, explicou.

Em nota divulgada à imprensa, a Petrobras justificou o encarecimento em razão da redução da oferta diante da demanda.

“Os estoques globais estão reduzidos e abaixo das mínimas sazonais dos últimos cinco anos nas principais regiões supridoras. Esse desequilíbrio resultou na elevação dos preços de diesel no mundo inteiro, com a valorização deste combustível muito acima da valorização do petróleo. A diferença entre o preço do diesel e o preço do petróleo nunca esteve tão alta”, disse, em nota.

Conforme o economista Eugênio da Silva Pavão, o novo reajuste deixará a economia de Mato Grosso do Sul vulnerável com o repasse para outros setores produtivos.

“Seguindo a política de preços de paridade com o mercado internacional, o aumento do diesel nas distribuidoras chegará às bombas dos postos em breve. Com alta de 47% desde janeiro, o diesel tem um forte impacto na economia por seu peso no transporte de bens e serviços no Brasil. Na inflação, o impacto é de 0,25%, atingindo o frete, transportes urbanos, custos de produção de máquinas agrícolas, entre outros”, destacou.

Frete

De acordo com o presidente do Sindicato dos Caminhoneiros, o frete também ficará mais caro. No entanto, é preciso que o novo valor do diesel chegue primeiro às bombas, para depois calcular o impacto.

“O aumento vai afetar o preço do frete, que vai ser transferido para o valor dos alimentos, e em toda a cadeia de consumidores.

O frete automaticamente vai aumentar com o repasse, mas só vamos saber após o aumento chegar às bombas. Depois disso, os embarcadores terão de aumentar o custo do transporte”, disse Bellinati.

No último aumento do óleo diesel, no dia 11 de março, o frete encareceu em até 20%, segundo informado por Osni, na época.

Reajustes em 2022

O primeiro aumento do óleo diesel, neste ano, ocorreu em 12 de janeiro, quando o produto foi reajustado em 8,08%. Em março, teve o segundo encarecimento nas distribuidoras, de 24,93%. Hoje, o preço subiu mais uma vez, com quase 9%.

Texto: Bela Reina – Jornal O Estado

Confira mais notícias no Jornal O Estado.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.