Ex-prefeito de Maracaju consegue autorização para prisão domiciliar

Maracaju
Reprodução/Facebook

O ex-prefeito de Maracaju Maurílio Azambuja (MDB), acusado de desvio de R$ 23 milhões dos cofres públicos da cidade, deve cumprir prisão domiciliar e usar tornozeleira eletrônica. A prisão temporária foi convertida após pedido da defesa acatado pela Justiça. Foi alegado que Maurílio é idoso e possui comorbidades.

Azambuja, que está na 3ª Delegacia de Polícia Civil de Campo Grande, deve sair da cadeia por conta do benefício. A delegada Ana Cláudia Medina solicitou a conversão da prisão temporária em preventiva, mas não teve êxito.

Azambuja se apresentou na sede do Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado) na noite de sexta-feira (24), após ficar dois dias foragido. Ele possuía em seu desfavor um mandado de prisão ao ser alvo da Operação Dark Money, que prendeu outras sete pessoas por envolvimento no crime.

O ex-prefeito negou todas as acusações e teria dito que deu “autonomia” aos secretários sem saber sobre o desvio de dinheiro. Ele chegou a dizer que “pensava que os cheques assinados” por ele eram enviados para uma conta reserva, destinada ao pagamento dos funcionários. (Andrea Cruz)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.