“Ninguém morreu?”: organizada do Palmeiras manda recado

Após a eliminação do Palmeiras nas quartas de final da Libertadores para o Grêmio, a maior organizada do clube se manifestou por meio de uma nota em suas redes sociais. A Mancha Alvi Verde atacou nominalmente o presidente Mauricio Galiotte e o diretor executivo Alexandre Mattos, além de mandar um recado aos torcedores e aos próprios jogadores e comissão técnica.

“Ninguém morreu, né? Mauricio Galiotte, a falta de hombridade dos jogadores é o reflexo da sua personalidade como homem”, inicia o comunicado da torcida. “Você não é o presidente do Palmeiras. Você, por acaso, está ocupando o cargo (…) E o Mattos não será esquecido. FORA, ladrão!”.

A frase “ninguém morreu” faz referência direta ao técnico Luis Felipe Scolari, que disse isso após a derrota do Palmeiras para o Internacional na Copa do Brasil, que culminou com a queda do clube na competição.

À torcida, a Mancha Alvi Verde diz que “avisou” que isso iria acontecer, que o “time não deu liga” e não tinha planejamento para esse ano. “Esse elenco não é ruim, ele simplesmente não é essas coisas que muitos exaltavam. Na verdade, esse elenco é sem vergonha”, escreveu a organizada.

Para finalizar, a Mancha destacou que estará presente no jogo diante do Flamengo no domingo, no Maracanã “não por jogador, treinador, diretor de futebol, presidente, mas pela camisa, pelo Palmeiras”. E deixou um recado: “Se preparem… Serão cobrados até 31/12/2019. O ano está perdido!”.

O Palmeiras foi eliminado de virada em pleno Pacaembu na última terça-feira. Na ida, em Porto Alegre, fez 1 a 0 em cima do Grêmio com Gustavo Scarpa e tinha a vantagem do empate. Em São Paulo, iniciou ganhando, com gol de Luiz Adriano, mas levou a virada com Everton e Alisson. (Com informações da Gazeta Esportiva)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.