Produtores de MS criam expectativa de status como área livre da aftosa sem vacinação

febre aftosa
Divulgação

Os produtores de Mato Grosso do Sul vivem uma expectativa de o Estado conseguir o certificado de livre de febre aftosa, sem a necessidade de vacinação. Um calendário foi elaborado prevendo que em 2023 o pecuarista não precise mais vacinar o gado e um fórum na Capital detalhou como está o andamento desse programa. O diretor-presidente da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal do MS), Daniel Ingold falou sobre esse grande objetivo.

“O Penefa (Programa Nacional de Erradicação da Febre Aftosa) é um plano estratégico para a retirada da vacina, ou seja, é feito todo um planejamento de melhoria da estrutura dos serviços de defesa, a nível de pessoas, inteligência, é um trabalho complexo que exige uma equipe toda envolvida para isso. Melhorar a vigilância para tirar a vacina com segurança sanitária e com sustentabilidade e sem o risco da volta da aftosa.

Presidente da Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), Marcelo Bertoni, fala que os produtores rurais já cuidam com excelência de seus animais e Mato Grosso do Sul terá status da nossa carne melhorado com segurança alimentar. Vai ser uma carne de um estado de zona livre de aftosa, então é muito importante esse avanço. A gente tem uma gama maior de países que eles querem que a gente tire essa vacina para o setor produtivo essa decisão é importante”, destacou.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.