Redução na folga é consequência do aumento nas ocorrências, diz comandante

O comandante do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul, coronel Joílson Alves, afirmou que redução na carga horária de folga dos militares ocorreu por aumento no número de ocorrências. Desde a semana passada que o comando decidiu diminuir a folga. A escala, que até então, era de um dia trabalhado para três de folga, 24 por 72 horas. Agora, é de um dia trabalhado para dois de folga.

Segundo o comandante, isso é algo natural dentro da corporação. Uma medida tomada para que os militares consigam atender as demandas. “Esse ano está atípico, com muitas demandas e mesmo aumentando o efetivo diário em 25% com a redução da folga, tivemos que trazer bombeiros de outros estados. São 40 do Paraná, 20 de Santa Catarina e 45 da Força Nacional”, explicou.

Em Mato Grosso do Sul, de acordo com a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros, o efetivo é de 1.415 militares na ativa. Destes, 150 ainda estão no curso de formação para soldado. Ou seja, não vão para as ruas. Conforme o coronel Joílson o efetivo de 1.295 é suficiente para atender as ocorrências.

“Não estamos deixando de atender as ocorrências, inclusive estamos com diversas guarnições extra para ajudar, principalmente, no combate as chamas e não somente em matas, está ocorrendo muitas queimadas em terrenos baldios”, assegurou.

Mas, para o presidente da Aspra-MS (Associação de Praças da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul), Eduardo Ferreira dos Santos, o efetivo do Corpo de Bombeiros tinha de ser pelo menos o dobro do atual para poder atender razoavelmente a população do Estado.

Segundo Ferreira, falta política de renovação da frota. “Tem de haver política para renovar e reforçar o efetivo existente. Todo ano tem que ter concurso, até mesmo pela demora nos trâmites necessários”, ressaltou.

De acordo com o comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Joílson, existe a possibilidade dos remanescentes serem chamados para o curso de formação no ano que vem.

“São 50 remanescentes e em conversa com o governador Reinaldo Azambuja, as chances são muito boas para que assim que terminarmos a formação dessa turma que eles sejam chamados. Acredito que isso seja para o segundo semestre de 2021”, afirmou. Confira outras notícias.

(Texto: Rafaela Alves)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *