Preço da cesta básica cai nas capitais do Brasil

Auxílio Brasil
Foto: Divulgação

 preço da cesta básica apresentou queda de 1,93% de junho para julho saindo de R$ 428,33, em média, para R$ 420,07. Campo Grande ficou na décima primeira posição no ranking de retração das dezessete capitais pesquisadas pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos
Socioeconômicos).

Entretanto, na comparação com o mesmo período do ano passado há um encarecimento de R$ 49,48, já que os treze itens que compõem a cesta básica custavam no ano passado cerca de R$ 370,59. A cesta familiar – necessária para suprir uma família composta por quatro membros, sendo dois adultos e duas crianças – também registrou queda de junho para julho chegando a R$ 1.260,21, queda de R$ 24,78.

Para comprar a cesta da família, o trabalhador precisou do equivalente a 1,26 vezes do salário-mínimo bruto, ou seja, uma família que ganha dois salários-mínimos teve que gastar mais da metade dos ganhos brutos com alimentação.

O gasto é ainda maior se levado em conta os descontos como contribuição do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) e vale-transporte, que juntos tomam14% da renda bruta do trabalhador, algo em torno de R$ 139,72. Na cesta básica individual, o comprometimento do salário-mínimo líquido caiu 0,9% passando de 45,65% para 45,75%.

Variações positivas

O Pãozinho francês novamente registrou estabilidade de preços (0,0%), ou seja, o preço médio do produto têm permanecido em R$ 11,23 o quilo há 3 meses. Único item a aumentar de preços em Julho, o leite de caixinha (1,74%) acumula retração de preços em 12 meses (-20,93%), e teve preço médio de R$ 3,51. Cesta básica

Registraram quedas o feijão carioquinha (-9,24%), a banana (-3,77%), a farinha de trigo (-2,70%), a batata (-2,43%), o café em pó (-2,39%), a carne bovina (-1,87%), o tomate (-1,77%), o açúcar cristal (-1,59%), o arroz (-1,42%), o óleo de soja (-0,82%) e a manteiga (-0,78%).

O feijão teve a quinta retração consecutiva, e o café, a quarta. Em 12 meses, o grão acumula alta de 62,82%, e o café, baixa de (-13,88%). O tomate teve variação acumulada de 82,80%, com preço médio do fruto a R$ 4,57 o quilo em julho de 2019.

Nordeste em destaque

A cesta básica mais baratas do Brasil são vendidas nas capitais nordestinas. Aracaju, em Sergipe, é a primeira colocada, lá os treze itens que compõem a cesta saem por R$ 359,95, o preço chega a ser mais baixo que o registrado em Campo Grande no mês de julho de 2018.

Em seguida aparecem: Salvador (R$ 372,25); Recife (R$ 381,10); Natal (R$ 381,27); João Pessoa (R$ 385,58) e Belém (R$ 403,35). Acesse também: Mãe apaga redes sociais da filha para “Proteger saúde mental”

(Reportagem de Marcus Moura)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.