Paralimpíadas: Brasil já conquistou quatro medalhas nesta quinta-feira

DanielDias
Daniel Dias. Foto: Twitter Time Brasil

Brasil mostrou bastante preparo para a Paralimpíada de Tóquio e só nesta quinta-feira garantiu quatro medalhas em modalidades diferentes.

O paulista Daniel Dias conquistou na madrugada desta quinta-feira (26) a sua 26ª medalha medalha paralímpica no Jogos de Tóquio (Japão), com um bronze na prova de 100 metros livre da classe S5 (deficiência físico-motora), com o tempo de tempo de 1min10s80.  É o segundo bronze do multicampeão na Tóquio 2020: na manhã de ontem (25), Daniel faturou a primeira medalha ao completar os 200 metros livre em terceiro lugar. As competições de natação estão sendo disputadas no Centro Aquático de Tóquio, na capital japonesa.

O paulista Rodolpho Riskalla também conquistou na manhã desta quinta-feira (26) medalha de prata no hipismo adestramento na Paralimpíada de Tóquio. Na prova do grau IV (categoria que reúne atletas com comprometimento leve em um ou dois membros e também aqueles com deficiência visual moderada). Este é o melhor resultado do Brasil em todas as participações na modalidade.

Montando o cavalo Don Henrico, Riskalla, de 37 anos, se apresentou ao som de Aquarela do Brasil (Ary Barroso) e Halo (Beyoncé). O entrosamento resultou no segundo melhor aproveitamento da competição, garantindo a pontuação de 74,659.

Com a prata de Riskalla, o Brasil chegou à quinta medalha no adestramento em Paralimpíadas. O país já havia conquistado outros quatro bronzes com os cavaleiros Marcos Fernandes Alves (dois nos Jogos de Pequim 2008) e Sergio Froes Oliva (dois na Rio 2016).

Ouro na Paralimpíada de Londres (2012), o esgrimista gaúcho Jovane Guissone, de 38 anos, conquistou a prata na manhã desta quinta-feira (26) na Tóquio 2020, na disputa da espada individual na categoria B (menor equilíbrio e mobilidade no tronco). O brasileiro foi superado pelo atleta Alexander Kuzykov, do Comitê Paralímpico Russo (ROC, sigla em inglês), por 15 a 8. Natural da cidade de Barros Cassal (RS), Guissone segue como único medalhista do país na esgrima, seja em Olimpíadas ou Paralimpíadas. 

Vice-líder no ranking mundial, Guissone chegou à final na Tóquio 2020 após derrotar nesta madrugada o britânico  Bimitri Coutya por 15 a 12.  Antes, o gaúcho já despachara o iraquiano Ammar Ali por 15 a 10 nas quartas de final. Em sete duelos antes da decisão pela medalha de ouro, foram sete duelos, e Guissone perdeu apenas o primeiro – para o ucraniano Oleg Naumenko – e o último para Kuzykov (ROC).

O gaúcho começou a praticar esgrima há 13 anos, após sofrer uma lesão na medula ao ser atingido por disparo de arma de fogo durante um assalto.

Paralimpíada

Marco Djurica

Ainda pela manhã O Brasil conquistou medalha de bronze na prova de revezamento misto no 4×50 metros livre 20 pontos na Paralimpíada de Tóquio. Os nadadores brasileiros Daniel Dias (classe S5), Talisson Glock (classe S6), Joana Neves (classe S5) e Patrícia Pereira (classe S4) obtiveram o tempo de 2min24s82. As competições de natação acontecem no Centro Aquático de Tóquio, na capital japonesa. As classes S4, S5 e S6 são compostas de atletas com deficiência física-motora.

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.