Nelsinho alerta que recomendação da OIT pode atrasar Previdência

Michelly Perez e Marcus Moura

O senador Nelsinho Trad (PSD-MS) alerta para o risco de retardamento na votação da reforma da Previdência após as recomendações da Comissão de Aplicação de Normas da OIT (Organização Internacional do Trabalho) para que o governo continue analisando os impactos da reforma trabalhista aos trabalhadores brasileiros a fim de decidir se são necessárias adaptações.

Segundo o senador, que falou com exclusividade ao jornal O Estado, as recomendações devem ser avaliadas em parceria com entidades de trabalhadores e empregadores.

Na época em que era discutida, o governo de Michel Temer (MDB) afirmava que a medida era necessária para a geração de empregos, porém menos de dois anos depois o número de desempregados do país se manteve na casa dos 13 milhões.

“A Comissão pediu que o governo brasileiro avalie a necessidade de mudanças na Lei nº 13.467/2017, conhecida como reforma trabalhista. A comissão analisava se a reforma trabalhista feria a Convenção 98 da agência multilateral da ONU (Organização das Nações Unidas), da qual o Brasil é signatário. Qual o impacto imediato? Talvez a demora na aprovação da reforma”, disse.

Trad explica que uma comissão já está deliberando sobre o assunto e que em breve será apresentado um parecer sobre a questão. “O Congresso é soberano e vai decidir o que é melhor para todos. Uma comissão especial analisa o texto e vai repassar os números sobre o impacto desses pontos sensíveis na economia aos congressistas.”

Como surgiu a a recomendação?

Segundo reportagem publicada pela Agência Brasil no dia 19 de junho, as denúncias foram levadas à OIT pela CUT (Central Única dos Trabalhadores), com o apoio de diversas centrais sindicais, antes mesmo que a reforma fosse aprovada. Eles reclamavam que todo o processo foi realizado sem consultar os mais interessados na questão, os trabalhadores. (Com informações da EBC)

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.